Yes, nós temos a melhor moda praia do mundo! Exposição no CCBB narra a história do biquíni no Brasil

* Mais uma super colaboração da antenadíssima Cinthia Saito, que sempre traz as dicas mais hypes da cidade 😉

Fui ao CCBB RJ com a expectativa de encontrar uma boa retrospectiva dos 70 anos do biquíni. Mas, para o meu espanto (e êxtase!), vi uma verdadeira pesquisa etnográfica tendo como pano de fundo a história dessa peça.

Claro, não há como não abordar o assunto “corpo” quando se fala na peça que passou a mostrar o umbigo, em épocas em que os trajes de banho quase não deixavam as pernocas aparentes…

A curadoria de Lilian Pacce foi excepcional e nao deixou escapar nenhum detalhe. Foi das über models, que marcaram época, como Gisele e Shirley Mallmann, passando pela criação de estampas e texturas memoráveis de marcas brasileiras como Lenny Niemeyer, Rosa Chá, Salinas, Adriana Degreas, e sem esquecer, lógico, das atuais fitas isolantes que dão marquinha. 😎

Biquini_no_ccbb01

Outro ponto alto da exposição são peças da cultura indígena, antigas, bem feitas, trabalhadas milímetro a milímetro. Me encantei também com as fotos de corpos e cores belíssimos.

Você também pode conferir também itens da moda praia que não são comumente vendidos em lojas. São peças de desfiles, únicas, poderosas, como o maiô de couro de pirarucu da Osklen. Maravilhoso! Bafônico! Polêmico! Mas também não-sustentável, claro.

Ou seja: está incrível, queridas(os) leitoras(es), é uma exposição que dá orgulho de ver a contribuição do Brasil nesse ramo. (Sentimento raro nos dias de hoje…) Vale a pena conferir! Vai até 10 de julho, das 9h às 21h. Só fecha às terças.

Obs.: Só deu uma dorzinha no peito ver o café do terceiro andar fechado. Dizem que foi a crise. 😕

Texto e fotos: Cinthia Saito. 

– – –
Yes, nós temos biquíni
Onde: CCBB RJ – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro (Praça XV/Candelária)
Quanto: Entrada gratuita
Quando: até 10/7, das 9h às 21h. Não abre às terças-feiras.

Anúncios

Jardim Botânico do Rio celebra a chegada da primavera com exposição de orquídeas

Para receber a primavera, que começa em setembro, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro acolherá a já consagrada exposição “Orquídeas na Primavera”, organizada pela OrquidaRio. O evento acontece nos dias 2, 3 e 4/9, das 8h às 17h.

Orquideas na primavera_estersantos
O evento acontece dentro do orquidário do Jardim Botânico/ Foto: Divulgação

 

Além de apreciar espécies raras e comprar mudas e plantas floridas de cerca de 12 orquidários diferentes, o visitante terá ainda a oportunidade de participar de palestras e oficinas gratuitas sobre o cultivo das orquídeas, que acontecem em todos os dias de evento, oficina de ilustração botânica no sábado e do curso “As Orquídeas e seu Cultivo” no domingo.

Confira a programação completa aqui.

– – –
Orquídeas na Primavera
Onde: Orquidário do Jardim Botânico do Rio
Quando: 2, 3 e 4/9 – das 8h às 17h.
Quanto: R$10 / R$5 (meia – veja aqui quem tem direito) para entrar no Jardim. Oficinas gratuitas

 

 

Confira as exposições que estão rolando na cidade esta semana – 29/8 a 4/9

O Rio é uma cidade efervescente! A cada semana surge uma nova exposição, mostra de filmes, festival de moda, encontro de foodtrucks… Para não deixar ninguém perdido, reunimos aqui as melhores exposições pela cidade de 29/8 a 4/9:

Exposições:

+ Outras Vidas – mostra sinestésica
Quando
: 18 a 31/8/16. Segundas, de 12h às 17h e de terça-feira a domingo, de 9h às 17h
Onde: Jardim Botânico do Rio de Janeiro (ao lado do Museu do Meio Ambiente) – Rua Jardim Botânico, 1008 – Jardim Botânico
Quanto:
Entrada gratuita
Falamos sobre a exposição aqui.

+ O triunfo da cor
Quando: até 17/10, quarta a segunda-feira (fechado às terças), das 9h às 21h.
Onde: Centro Cultural Branco do Brasil (CCBB) – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Quanto: Entrada gratuita
Falamos sobre a exposição aqui.

02. Gauguin_Femmes de Tahiti
Exposição “O trinfo da cor”, no CCBB

 

+ No espaço entre nós
Quando: 6/8 a 4/9 quinta e sexta-feira, das 11h às 17h. Sábado e domingo: das 12h às 18h.
Onde: Museu da República (Rua do Catete, 153 – Catete), na sala de Arte-Educação
Quanto: Entrada gratuita
Falamos sobre a exposição aqui.

+ A cor do Brasil
Quando: até 17/1/17, terça a domingo, das 10h às 17h.
Onde: Museu de Arte do Rio (MAR) – Praça Mauá, 5 – Zona Portuária
Quanto: R$10 / R$5 (meia)
Falamos sobre a exposição aqui.

+ CenáRios
Quando: até 17/9
Onde: Botafogo Praia Shopping – Praia de Botafogo, 400
Quanto: Entrada gratuita
Falamos sobre a exposição aqui.

AluisioEzequiel_6
Exposição “Cenários”, no Botafogo Praia Shopping

+ Cidade Jacarandá
Quando: até 25/9 – terça a domingo, das 10h às 18h
Onde: Cidade das Artes – Av. das Américas, 5300, Barra da Tijuca.
Quanto: Entrada gratuita
Falamos sobre a exposição aqui.

 

Exposição sensorial mostra os efeitos do descaso do homem na natureza

Até 31/8, o Jardim Botânico do Rio recebe a exposição “Outras Vidas”, sobre a fauna e flora dos biomas brasileiros e como descaso humano afeta esses ambientes. Cerrado, Caatinga, Pantanal e Pampa estão retratados em combinações fotográficas e textos poéticos, que transportam o visitante até cada um desses biomas.

Tema: Paisagem
Paisagem típica do Parque Nacional Dunas do São Francisco. Local: Casa Nova, BA. Autor: Eraldo Peres

Ao entrar no ambiente da mostra, o público poderá sentir um pouco do que ocorre com a fauna e a flora ao serem atingidas por uma queimada ou pelo desmatamento. Em ambiente fechado, sons, luzes e palavras levam cada visitante a refletir sobre o drama vivido por tatus, cobras, pássaros, cervos e centenas de outros animais, vítimas das ações nocivas dos homens.

Tema: Fauna
Cervo do Pantanal (Blastocerus dichoromus); Local: Parque Nacional do Araguaia, TO. Autor: Palê Zuppani

A exposição faz parte da programação do Ministério do Meio Ambiente nas Olimpíadas 2016. A visitação é gratuita!

Tema: Flora
Flora típica do pantanal. Local: RPPN Acurizal/MS. Autor: Zig Koch

– – –

Outras Vidas – mostra sinestésica
Quando: 18 a 31/8/16. Segundas, de 12h às 17h e de terça-feira a domingo, de 9h às 17h
Onde: Jardim Botânico do Rio de Janeiro (ao lado do Museu do Meio Ambiente) – Rua Jardim Botânico, 1008 – Jardim Botânico
Quanto: Entrada gratuita

Espetáculo gratuito une teatro e performance no Espaço Sérgio Porto

O público acostumado com o tradicional formato teatral de palco e plateia estáticos vai se surpreender com o espetáculo “Solos de memória”, do grupo Uma Certa Companhia. Na peça, os espectadores são convidados a acompanhar as cenas percorrendo os vários ambientes do Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, no Humaitá.

O espetáculo é gratuito conta com performances que vão do foyer até o pátio do lado de fora do teatro, onde a cena final aborda temas atuais, como a relação da cidade com os Jogos Olímpicos.

solosdememoria

A montagem dialoga com a obra da artista plástica Anna Bella Geiger em exposição na galeria do próprio local.

“Solos de memória” fica em cartaz no Espaço Sérgio Porto até 22/8, de quarta à segunda, às 18h. Ah, a classificação é 12 anos.

– – –

Serviço:
Espetáculo “Solos de memória”
De 3 a 22/8 (quarta a segunda-feira)
Horário: 18h
Local: Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto
Endereço: Rua Humaitá, 163 – Humaitá, Rio de Janeiro – RJ
Telefone:(21) 2535-3846
Valor: ENTRADA FRANCA
Reservas pelo email:
solosdememoria@gmail.com
Capacidade: 20 espectadores por sessão
Duração: 70 minutos
Classificação: 12 anos 

Exposição promove diálogo entre diferentes juventudes cariocas

E se a arte promovesse um diálogo entre adolescentes de diferentes classes sociais do Rio? É essa conexão que o Museu da República revela a partir deste sábado, 6/8, com a exposição ‘No espaço entre nós’.

NoEspaçoEntreNós1

A mostra composta por uma instalação audiovisual e obras interativas é resultado da interação entre alunos do Centro Educacional Anisio Teixeira, em Santa Teresa, e adolescentes da comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte.

Eles tiveram suas imagens transformadas em sombras e misturadas em mandalas, um trabalho desenvolvido pelo artista plástico Helio Rodrigues, e apoiado pelo Instituto de Arte Educação (IAE), com patrocínio da Farmoquímica.

Helio Rodrigues e aluno

Os visitantes também poderão participar, brincando com sombras imantadas sobre caixas de luz com cores, formas e o espaço entre elas. Os trabalhos criados serão fotografados e postados no Facebook, e o público poderá guardar e compartilhar sua criação, com a hastag #noespacoentrenos.

NoEspaçoEntreNós2

“No espaço entre nós” fica de 6/8 a 4/9 no Museu da República (Rua do Catete, 153 – Catete), na sala de Arte-Educação: quinta e sexta-feira, das 11h às 17h. Sábado e domingo: das 12h às 18h.

Entrada gratuita!

 

O triunfo da cor: fomos conferir a nova exposição pós-modernista do CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil abre suas portas para receber, mais uma vez, obra-primas do Museé d’Orsay e do Museé de l’Orangerie, de Paris. A primeira, em 2012, foi a terceira exposição mais vista do mundo naquele ano. Então pode apostar que temos coisa boa vindo por aí!

IMG_6011
Habemus Van Gogh!

A abertura de “O triunfo da cor – O pós-impressionismo: obras-primas do Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerie” acontece nesta quarta-feira (20/7 – dia do amigo ❤ ) e segue em cartaz até 17/10. São apresentadas 75 obras de 32 artistas que, a partir do fim do século XIX, buscaram novos caminhos para a pintura, promovendo uma verdadeira revolução estética por meio do uso da cor. Podemos conferir os trabalhos de Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cézanne, Seurat , Matisse e outros.A curadoria da exposição é assinada pelo presidente do Musée d’Orsay, Guy Cogeval, pelo diretor cultural da Fundácion MAPFRE, Pablo Jiménez Burillo, e pela curadora do Musée d’Orsay, Isabelle Cahn (chique, né?).

IMG_6082.JPG
Rolou até cobertura no nosso snap: @riodegraca. Segue lá!

“O triunfo da cor” já passou pelo CCBB de São Paulo, atraindo mais de 172 mil visitantes. A expectativa é de filas. Para não deixar ninguém entediado, o Educativo do CCBB preparou algumas surpresas, como a presença de personagens retratados nos quadros (!!!) explicando aos visitantes aspectos do pós-expressionismo e contando algumas curiosidades sobre os autores e suas obras.

IMG_6044
Um dos personagens da exposição. Não vamos contar quem é para não estragar a surpresa. Quem descobrir, conta pra gente!

Fui conferir a exposição e realmente está incrível. Poder ver ao vivo, de pertinho, obras-primas (daquelas que só víamos nos livros de História ou Artes) é emocionante!

Outra novidade super legal é que a exposição conta também com o aplicativo “O triunfo da cor” (disponível para iOS e Android), com informações sobre as obras, as divisões temáticas de cada sala, tour virtual, áudio guia a partir do QR Code disponível em cada quadro e uma brincadeira sensacional: transformar suas fotos em obras de arte! Cada filtro é com a técnica de um artista e dá para salvar suas produções.

O lema do Rio de Graça é “facilitar a vida em tempos de Rio Surreal”, então uma funcionalidade que amamos no app é a possibilidade de agendar sua visita ao CCBB. Você escolhe dia e hora e não precisa pegar fila. Tudo de graça! \o \o \o

A curadora do Musée d’Orsay, Isabelle Cahn, fez uma visita guiada explicando sobre as obras

O CCBB funciona de quarta a segunda-feira (fechado às terças), das 9h às 21h.
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

IMG_6047
surpresas no saguão!

 

 

 

 

Último dia da exposição ComCiência, no Centro

Quem não conseguiu conferir as obras hiper-realistas de Patricia Picciani, tem uma última chance hoje (27/6).

Isso porque o CCBB carioca abre às segundas-feiras, dando aquela ajudinha aos enrolados (tipo eu, quem sempre deixo para ir nos últimos dias).


Na exposição, as famosas esculturas da artista australiana mesclam hiper-realismo com surrealismo e, ainda, algumas instalações feitas para a temporada no Rio.

O CCBB RJ é gratuito e fica aberto das 9h às 21h. Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

Mostra multimídia reúne as memórias de Caio F. Abreu

O Sesc Copacabana está com uma incrível mostra multimídia homenageando o contista, romancista, dramaturgo e jornalista Caio Fernando Abreu. O público tem a oportunidade de entrar em contado com todo o universo do autor por meio de diferentes linguagens artísticas.

caiofernando.02

A programação conta com debates, mostra de filmes, espetáculos de teatro e dança e apresentação musical com as cantoras Marina Lima e Cida Moreira. Apenas o teatro e o show musical são pagos, o restante é de graça! 🙂

Confira a programação gratuita da mostra:

– CICLO DE DEBATES
13/6 a 18/7
2as, 19h.
Grátis. 16 anos.
Mediação de Ramon Nunes Mello.

20/6 – Caio F. | Uma vida encenada
Com Gilberto Gawronski, Luis Artur Nunes e Renato Farias.
11/7 – Caio F. | Vida e Ficção
Com João Silvério Trevisan, Paula Dip e Luís Fernando Emediato.
18/7 – Caio F. | Inventário Astrológico
Com Amanda Costa, Claudia Lisboa e Pedro Tornaghi.

– EXPOSIÇÃO > CAIO FERNANDO ABREU, DOCES MEMÓRIAS
6/6 a 7/8
5a a domingo, 11h às 18h. 2as, 13h às 20h.
Grátis. 16 anos.

Apresentação de itens do acervo pessoal e bibliográfico, vestimentas, objetos de uso pessoal, manuscritos originais, dezenas de cartas, documentos, fotos, áudios e vídeos com entrevistas, entre outros.

– CINEMA > MOSTRA DE CURTAS E LONGAS
Todas as 2as. Grátis.
Mediação de Flávia Prosdocimi. Com a presença dos diretores.

4/7 – 19h. 16 anos.

Sargento Garcia – Hermes é um jovem imaturo e inexperiente que sonha em fazer faculdade de filosofia, mas quando ele vai se alistar ao exército ele percebe que a rigidez e autoritarismo do Sargento Garcia esconde uma forte pulsão sexual por jovens “diferentes”. De Tutti Gregianin.

Para sempre teu Caio F. – Caio Fernando Abreu foi um dos nomes mais importantes da literatura brasileira. Mesmo em pouco tempo de vida – ele morreu aos 47 anos, vítima da AIDS – deixou uma imensidão de livros, estudos, peças e debates. Polêmico e genial, suas obras foram traduzidas em doze idiomas e ganharam o mundo. Com depoimentos de amigos e familiares, o filme ainda traz diários e anotações pessoais do escritor gaúcho. De Candé Salles.

25/7 – 19h. 12 anos.

Linda, uma história horrível – Com uma mala em punho, um filho já adulto chega para visitar sua idosa mãe.  A casa continua a mesma, porém degradada pelo tempo – degradação essa que se estende ao corpo da velha senhora. De Bruno Gularte Barreto.

Sobre sete ondas verdes espumantes – Um roadmovie poético construído através da vida e obra do escritor Caio Fernando Abreu. Santiago, Amsterdã, Berlim, Colônia, Paris, Londres, Porto Alegre, São Paulo. As cidades que testemunharam a vida breve do poeta, dramaturgo e escritor são revisitadas e recobertas agora de fragmentos de suas obras e lembranças de seus amigos, como Maria Adelaide Amaral, Grace Gianoukas e Adriana Calcanhoto. De Bruno Polidoro.

– DANÇA > CAIO
21 a 24/7
5a a domingo, 21h.

O espetáculo nasce do estudo das relações afetivas a partir de interações entre a dança contemporânea e a literatura de Caio Fernando Abreu. Aproximam-se corpo e palavra, dança e literatura, pelas conexões intersemióticas entre as duas linguagens artísticas.  Com o grupo Qualquer um dos 2 Cia. de Dança.

 

caiofernando.01

Nascido em Santiago do Boqueirão, Rio Grande do Sul, em 1948, Caio F. Abreu, como assinava seus trabalhos, escreveu vários romances e contos, entre eles Pedras de Calcutá, Morangos Mofados – o livro que o tornou popular -, Os Dragões Não Conhecem o Paraíso, Onde Andará Dulce Veiga? e Limite Branco.

As marcas e a influência de autores consagrados da literatura, tais como Clarice Lispector, Hilda Hilst, Gabriel García Márquez e Julio Cortázar, são bastante evidentes em sua obra, bem como a música, o teatro e o cinema, que o inspiraram de forma marcante. Falecido em 1996, sua obra permanece viva e admirada ao redor do mundo – inclusive, por toda uma nova geração de leitores e escritores.

Caio, a gente te ama!

caiofernando

O Sesc Copacabana fica na Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana.

 

Exposição retrata o corpo na arte e na literatura

Com curadoria de Ana Kiffer, a exposição “Cadernos do Corpo” terá sua abertura nesta quarta-feira, 20/4, no Centro Cultural da Justiça Federal, no Centro.

A exposição é o desdobramento de um grupo de pesquisa sobre escritas processuais e experimentais, no limite entre a literatura e a arte. A aposta da mostra é a de que a criação artística se relaciona com a produção de subjetividades e com a atuação política no mundo, e também a de que o caderno não se insere, hoje, apenas como registro do íntimo e do [in]confessável, normalmente revelado após a morte do artista ou do escritor.

Assim, a exposição apresenta os cadernos dos artistas em seus mais variados suportes,
desde o preto sobre branco do papel até o vídeo e a performance, servindo de plataforma para a experimentação da escrita como pergunta, como endereçamento e como curiosidade radical pela vida.

Além da exposição, haverá uma série de seminários com artistas, poetas e pesquisadores convidados de diversas áreas (filosofia, antropologia, música, teatro). O objetivo é explorar os cadernos como acontecimentos de passagem, entre o manuscrito do escritor e o livro de
artista, ou como obras processuais, obras-sem-obras.

Artistas: Adriana Azevedo | Ana Costa | Antonia de Thuin | Clarisse Zarvos | Diego Ferreira | Dyonne Boy | Fernanda Correa | Kammal João | Maíra Fernandes de Melo | Marcela Filizola | Natalie Lima | Paula Terra | Raissa de Goés

Performances: Beatriz Provasi | Clarisse Zarvos | Daniel Castanheira | Mila Bartilotti | Omar Salomão | Raissa de Goés

A abertura será hoje, às 19h e a exposição fica aberta para visitação até 5/6, de terça a domingo, das 12h às 19h.

O Centro Cultural da Justiça Federal fica na Av. Rio Branco, 221 – Centro.

Exposição gratuita de presépios no Centro

Até o dia 6/1 o Convento Santo Antônio, no Largo da Carioca, recebe uma linda exposição franciscana de presépios. As imagens são do acervo da coleção franciscana de presépios da Província da Imaculada Conceição do Brasil. O acervo possui mais de mil conjuntos provindos do Brasil e de outros países.

A tradição de montar presépio começou com São Francisco de Assis, no ano de 1223. Ele queria sentir como o Menino Jesus passou a noite numa gruta, deitado numa manjedoura entre dois animais. Coube aos franciscanos propagar pelo mundo esta tradição.

Além da exposição de presépios, os visitantes ainda poderão conhecer a arquitetura franciscana presente no conjunto arquitetônico do século XVIII.

As visitas acontecem de segunda a sexta, das 9h às 18h, e sábado, das 8h às 11h. Nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 01 de janeiro não haverá visitação.

O Convento Santo Antônio fica no Largo da Carioca, s/nº – Centro.

Entrada Gratuita 🙂

Exposição retrata o Rio de antigamente

A exposição “Rio Setecentista, quando o Rio virou Capital”, no Museu de Arte do Rio, apresenta as transformações que a cidade sofreu durante o século XVIII, quando se tornou a capital do Brasil.

São cerca de 700 peças, incluindo documentações, objetos da época, ilustrações, pinturas, artefatos religiosos e obras de arte contemporânea de artistas anônimos e aclamados, como Mestre Valentim, Adriana Varejão, Guignard, Augusto Malta, Vasco Araújo, Pierre Verger, Carlos Julião, Rugendas e Debret e outros.

O MAR está com horário especial de visitação no verão: terças, das 10h às 19h. De quarta a domingo, das 10h às 17h.

Ingresso: R$ 8 I R$ 4 (meia-entrada) – pessoas com até 21 anos, estudantes de escolas particulares, universitários, pessoas com deficiência e servidores públicos da cidade do Rio.
Às terças-feiras a entrada é gratuita para todos e todas! 

O MAR fica na Praça Mauá, 5 – Centro.

Programação cultural durante a Feira do Rio Antigo

Todo primeiro sábado do mês, junto com a tradicional Feira Rio Antigo e a Tiradentes Cultural, a Galeria Scenarium oferece uma programação especial, com exposições e debate.

Para este sábado (7/11), o espaço recebe as exposições ‘Do Outro Lado do Desenho’ e ‘Azul Cobalto – Azulejos e Memórias’, além do debate sobre o filme ‘Presidente Vargas, Biografia de uma Avenida’.

Confira a programação completa:

‘Do Outro Lado do Desenho’: Mundialmente conhecido por sua obra Drummond no Calçadão, instalada desde 2002 em Copacabana, o artista e escultor mineiro Leo Santana escolheu a cidade do Rio como ponto de partida para apresentar a diversidade da sua obra em uma nova trajetória.

‘Azul Cobalto – Azulejos e Memórias’: O Instituto Scenarium promove a exposição a partir da Coleção do sócio do Grupo Scenarium, Nelson Torzecki, garimpada, ao longo de mais de 20 anos. A exposição é composta por cerca de 100 painéis estruturados a partir de peças dos séculos XVI ao XX, algumas nunca expostas anteriormente.

‘Presidente Vargas, Biografia de uma Avenida’ (filme e debate, às 16h): A história do Centro do Rio de Janeiro, pode ser definida antes e depois da construção da Avenida Presidente Vargas. O lugar histórico cheio de fatos relevantes de nossa cultura e o bairro próspero e miscigenado que se formou com a Praça Onze, perde as suas raízes populares para dar lugar a uma grande avenida de integração. O debate pretende repensar todos estes valores e fatos do passado, além de contextualizá-los com o resultado da Avenida hoje e com os atuais processos de renovação da cidade.

Galeria Scenarium fica na Rua do Lavradio, nº 15 – Centro.

Castelo RÁ-TIM-BUM no Rio: dicas para conferir a exposição sem filas

Invadimos o Castelo! 🙂

Fomos conferir a exposição mais falada e esperada do ano: Castelo Rá-TIM-BUM no CCBB do Rio!

Separamos algumas dicas preciosas para quem não quer mofar na fila e, de quebra, instigamos a curiosidade de quem não vê a hora de reencontrar Zeca, Nino, Pedro e Biba.

Ah, as informações abaixo podem conter alguns spoilers (nota da editora: contar uma parte da exposição sobre algo que já aconteceu, seria spoiler?) 

A exposição comemora os 20 anos da estréia da série da TV Cultura, recriando e apresentando cenários, fotos, figurinos dos personagens e objetos de cena do programa exibido de maio de 1994 a dezembro de 1997.

“Castelo Rá-TIM-BUM: a exposição” fica no CCBB RJ até 11/01/2016, de quarta a domingo, das 9h às 20h30.

De graça! ❤ ❤

(Para quem não aguenta esperar, confira aqui fotos da exposição)

Agora vamos para as dicas:

  • Chegue cedo!

Todo mundo pensa em ir no mesmo horário, ao final do dia e nos finais de semana. Aí formam aquelas filas intermináveis, e o pior, não dá para conferir os detalhes da exposição. Por isso, quanto mais cedo, mais vazio. Tente ir antes da aula ou do trabalho, ou no horário de almoço, se estiver pelo Centro.

Fomos em uma segunda-feira, às 9h e tinham apenas TRÊS pessoas, sem agendamento, com tempo e espaço para fazer todas as selfies que desse vontade. 😉

  • Faça agendamento online

Se você não tem tempo para ir nos horários “alternativos” que citamos acima, uma boa opção é agendar sua visita pelo site do Ingresso Rápido ou no aplicativo (na App Store e Google Play). Funciona assim:

>> Baixe o aplicativo. Após o cadastro, basta fazer login, selecionar a mostra Castelo Rá-Tim-Bum – A Exposição e reservar o ingresso. Depois, quando chegar ao CCBB, ir em “Meus Ingressos” no próprio aplicativo e apresentar o QR Code ao monitor para receber a senha que dá acesso à visita.

>> O agendamento também poderá ser realizado pelo site www.ingressorapido.com.br. Na aba Agenda Rio de Janeiro, procurar o evento Castelo Rá-Tim-Bum – A Exposição. Nesse caso os usuários precisarão trazer o ingresso impresso.

O agendamentos serão de hora em hora: 09h30, 10h30, 11h30, 12h30, 13h30, 14h30, 15h30, 16h30, 17h30, 18h30, 19h30 (último horário). Cada CPF poderá fazer 1 agendamento por dia e cada 1 CPF pode levar até 3 acompanhantes.

  • O CCBB abre segunda

Uma grande sacada do Centro Cultural é abrir às segundas-feiras, dia em que, normalmente, os museus estão fechados. Por isso, muitas pessoas esquecem que o CCBB tem esse dia disponível, o que deixa as exposições menos cheias. Um bom programa para começar a semana bem cultural, não? 😉

  • Evite bolsas grandes

Mochilas não entram e, apesar do espaço contar com guarda-volumes, não há espaço para guardar os pertences de todo mundo. Prefira ir com bolsas pequenas, ou guarde a mochila assim que chegar ao espaço.

  • Vá com tempo para olhar tudo

Além de recriar os cenários e figurinos, há uma parte da exposição com vídeos de entrevistas com os atores e produtores da série. Eles/elas contam muitas curiosidades das gravações, vale a pena gastar um tempo para assistir tudo.

  • Relembre a infância e seja feliz! 

Há tanta coisa para lembrar: ratinho tomando banho, Caipora, Etevaldo, Mau, Porteiro, passarinhos cantores… A exposição retrata fielmente cada pedacinho do Castelo. Aproveite para relembrar seus/suas personagens preferidos/as desta série que marcou a infância de muita gente!

Nota da editora: Ano passado fui conferir esta mesma exposição no MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo. A produção original foi feita por eles, então alguns espaços não ficaram tão legais no CCBB RJ como ficaram no MIS. Em Sampa a gente podia entrar no quarto do Nino pela parede giratória (!!!), por exemplo. E havia mais atrações interativas. Mas nada que tire o brilho e a alegria que receber Tio Victor, Morgana, Nino e cia em terras cariocas. 😉

As viagens de Amyr Klink em exposição no Forte de Copacabana

Quem nunca se encantou com as viagens de Amyr Klink pelo mundo? Pois elas estarão retratadas a partir amanhã, 1/10, no Forte de Copacabana.

A exposição “Linha D’água” reúne fotografias do acervo do velejador. Klink já realizou mais de 40 viagens oceânicas e tornou-se referência nacional quando se fala em consumo consciente, especialmente da água. Os visitantes poderão ver de perto o barco original I.A.T., utilizado na Travessia do Atlântico Sul a remo, viagem durou 100 dias.

Ah, e não menos importante, a exposição é gratuita! 🙂

* ERRATA: Recebemos uma errata da organização do evento. A mostra é gratuita, mas a entrada no Forte de Copacabana é paga 😦 Porém não passa do padrão RDG: inteira R$6/meia R$3. 

No dia 6/10, o público poderá conferir uma palestra com Amyr Klink, às 15h, no Auditório Santa Bárbara, no Forte de Copacabana. Ele conta sobre suas viagens e experiências e fala das estratégias de consumo ligadas à água, mostrando que planejamento, precisão e consciência são fundamentais. Para assistir à palestra é preciso retirar antecipadamente um vale-ingresso pelo site www.dcolor.art.br/ingressos, a partir do dia 22/9.

No dia do evento, os vales deverão ser trocados pelo ingresso no local da palestra. Aqueles que não forem trocados até este horário serão invalidados e disponibilizados para o público em geral.

O Forte de Copacabana fica na Praça Coronel Eugênio Franco nº 1 – Posto 6 / Copacabana.

A exposição fica em cartaz de 1 a 6/10, das 10h às 18h.