Minhas 7 dicas infalíveis para economizar em uma viagem

Além de amar o Rio, eu também adoro sair da cidade e viajar. Mas sou gentem como a gentem e sempre procuro um jeito de economizar quando embarco para uma nova aventura. Posso dizer, é possível viajar com menos do que se imagina!

Você acha que não tem grana suficiente para conhecer os destinos dos seus sonhos? Confira as dicas e aprenda a economizar nas suas trips, você vai ver que é possível viajar com qualidade, sem pagar caro por isso!

1 – Planejar é a solução
Não adianta, viagens de última hora, ou sem planejamento, sempre saem mais caras. Se você trabalha e precisar marcar férias com antecedência, aproveite para procurar com calma as tarifas mais baratas. Dá até para esperar aparecer uma boa promoção para o destino que você deseja conhecer. O ideal para compras de passagens aéreas é entre seis e dois meses (para as internacionais) e dois meses a 15 dias (passagens nacionais). Antes ou depois dessa média pode ser furada. Meu guia para isso é o Melhores Destinos, que tem um app gratuito que avisa sempre que aparece uma boa promoção.

2 – Pesquise sempre
Se diferentes cias aéreas fazem o trajeto que está procurando, compare todos os preços antes de decidir em qual comprar. Às vezes uma cia que você não gosta tanto está com uma promoção imperdível, que compensa a troca. Alguns sites, como Kayak, Skyscanner, Decolar, Submarino Viagens e Viajanet, fazem essa comparação para você.

3 – Tenha datas flexíveis
Os voos costumam ter preços diferentes conforme as datas de ida e volta. Dias com menos procura (terça à quinta) costumam ter melhores valores. Vale mexer um pouquinho no roteiro para economizar sem fazer esforço.

4 – Viaja muito para um mesmo destino? Combine as datas
Esse “pulo do gato” eu aprendi com um controlador de voo, que precisava fazer a viagem Recife-Rio a cada 15 dias, para frequentar as aulas de mestrado na capital carioca. Para quem precisa ir para um mesmo destino muitas vezes já sabendo antecipadamente as datas, dá para alternar ida e volta, deixando as tarifas mais baratas. Vou explicar: destinos para um final de semana, por exemplo, são mais caros do que comprar uma viagem que vai durar uma semana. Assim, se você vai fazer Recife-Rio do dia 12 a 16/11 no destino e depois volta entre os dias 27 e 30/11, pode comprar assim: Recife-Rio 12 e 30/11 e Rio-Recife 16 e 27/11. Parece confuso, mas o resultado é animador. Anote todas as duas datas num papel e vá casando ida e volta.

5 – Busque por hospedagens alternativas
Será que só existe uma única opção de hospedagem para o destino que escolheu? Hoje em dia os hostels possuem quartos privados, com banheiro e café da manhã, tal qual um hote, mas com tarifas mais baratas e a possibilidade de conhecer viajantes de todo o mundo. Outros lugares, como Milão, na Itália, a hospedagem mais em conta são os aluguéis de casas e quartos pelo Airbnb. Para os mais aventureiros, que tal fazer um couchsurfing? Você dorme, literalmente, no sofá da casa de um anfitrião e não paga nada por isso.

6 – Pesquise tarifas diferentes para a mesma hospedagem
Assim como nas passagens aéreas, um mesmo hotel ou hostel pode ter valores diferentes, de acordo com o site em que você realizar a reserva. Há sites que realizam essa busca e acham os melhores valores, então pesquise antes de fechar um local, é possível encontrar bons descontos e facilidades para pagamento, como cancelamento gratuito.

7 – Leia relatos sobre o destino escolhido
Por que se meter numa furada de se hospedar em um hotel que nunca ouviu falar ou deixar para comprar na hora o ticket do museu mais importante da cidade? Leia os relatos de quem já viajou para onde você deseja ir e pegue todas as dicas possíveis: qual bairro é mais seguro, qual tem mais agito, como funciona o transporte, qual site vende ingressos para as atrações, como sair do aeroporto… Meus preferidos são os do Viaje na Viagem e Mochileiros. Vale também as avaliações dos lugares feitas por viajantes no TripAdvisor. Estar preparado e seguro sobre seu roteiro torna a viagem mais agradável e sem imprevistos. O tempo que você ganha antecipando a compra de atrações, por exemplo, pode ser usado para conhecer mais lugares!

Foto: Journalist On The Run

 

6 dicas essenciais para virar um mestre cervejeiro

Já reparou a profusão de novos rótulos de cervejas artesanais que encontramos nos bares, feiras de gastronomia e mercados? O carioca não quer mais uma cerveja gelada para tomar depois do expediente… ele quer “a cerveja”!

Conversamos com o João Taveira, sócio da Mateka, marca carioca de cervejas artesanais. Desde o primeiro experimento até hoje, são dois anos de ralação, estudos e força de vontade para colocar o produto no mercado.

cerveja_mateka01
A cerveja Mateka, do João

Se você tem o sonho de criar a sua própria marca de cerveja artesanal, confira as dicas que pegamos com o João:

1 – Estude, estude, estude

Se você gosta de alguma coisa, você é um fã. Agora, para ser uma referência, entender bem do assunto, é preciso estudar, e muito. O João começou a se interessar pelo mundo das cervejas artesanais em 2014, no começo do boom das marcas por aqui. E estuda até hoje: “Combinei de fazer um curso com um amigo que também pesquisava sobre o assunto, mas já havíamos estudado tanto que a aula passou a ser quase que um momento para tirar dúvida”.

2 –  Descubra seu diferencial

Neste momento, você e outras centenas de pessoas pensam em produzir sua própria cerveja. Como não ser mais um na multidão? “Temos que estar sempre pensando a frente. Atualmente temos dois rótulos e estamos testando algumas receitas para lançar um terceiro. Também estamos finalizando todo o processo de legalização e produção em maior escala das nossas cervejas, para fornecer em bares e lojas especializadas”, conta João. Ou seja, com um mercado em expansão, não dá para ficar parado!

3 – Tenha certeza da qualidade do seu produto

Faça testes, mostre para amigos, familiares, ouça a avaliação de todos. Não adianta criar um sabor muito diferente se ele não vai ter aceitação do público: “O que mais vemos são pessoas que adoram beber a cerveja, mas não se preocupam com o lado da produção. Imaginam que é só juntar os ingredientes que a cerveja ficará boa. Não é bem assim: fazer cerveja não é um bicho de sete cabeças, mas é preciso ter interesse em estudar os novos rótulos e buscar sempre se destacar de alguma forma”.

4 – Registre sua marca

Você cria um nome, divulga para seus amigos e familiares, tudo vai indo bem. Mas na hora de registrar sua marca, alguém já usou o nome. E agora? Com a Mateka foi assim. Até surgir o nome atual, a dupla usava outro. Na hora de registrar a marca junto ao INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), já existia uma cooperativa de leite no Paraná com o mesmo nome. Tiveram que parar, repensar o conceito e criar um novo título. Ou seja, trabalho redobrado para se recolocar no mercado. Então, se você já decidiu seu nome, registre-o antes que alguém tenha a mesma ideia.

5 – Seja reconhecido

cerveja_mateka_na_ufrj
Stand da Mateka em um evento de gastronomia na UFRJ

Aproveite o grande momento das cervejas artesanais e faça com que sua marca seja reconhecida. Participe de feiras, degustações, invista em publicidade digital. “Estamos numa transição para começar a oferecer as cervejas também em chopp e levarmos para os diferentes eventos cervejeiros. No fim, apresentar os filhos para o mundo!”, explica João. Descubra onde está o seu público e invista para que eles queiram beber a sua cerveja!

6 – Não desista

Ser empreendedor, independente da área, é duro, exige muito trabalho e muita perseverança. No mundo das cervejas não é diferente: a burocracia é o maior empecilho para quem quer seguir no ramo. “Imagino que a tendência seja melhorarmos cada vez mais nesse aspecto e seguir o que já ocorre na Europa e EUA. Existem movimentos por aqui para mudar este cenário”.

Extra!  7 – Legalize já!

Após a publicação deste texto, recebemos um feedback muito bom do cervejeiro Fabio Anselmo, nos explicando a importância da legalização das cervejas para sua comercialização. É preciso um registro no Ministério da Agricultura. Trabalhosos, mas necessário. Quer saber mais? Veja neste material: aspectos-legais-para-registro-de-cervejaria

– –

As cervejas da Mateka custam R$15 e podem ser compradas na página da marca.
Eles entregam na Zona Sul, Barra e adjacências, Tijuca e adjacências e Niterói.
Quer conhecer mais sobre eles e tirar dúvidas sobre o mundo cervejeiro? Mande uma mensagem pro João e o Gabriel no Facebook da Mateka!

Dicas rápidas para penteados incríveis

Dica boa para as meninas – e rapazes cabeludos, por que não?

O canal do youtube Treasures & Travels posta vídeos ensinando técnicas de penteados. Todos rápidos e fáceis de fazer! A galera é gringa, mas os tutoriais são super tranquilos de entender 😉

Que tal fazer uma tiara de tranças em dois minutos?

Ou um coque estiloso em apenas 60 segundos?

O canal ensina também a criar drinks diferentes, acessórios para o cabelo e até um acampamento no quintal! Com direito a fogueira e marshmallows (tem tutorial para aprender a fazê-los \o/)!

Compartilhamento de fofura na web ❤