Primavera Literária comemora 17 anos com edição especial na Casa França-Brasil

A Primavera Literária já ocupa seu lugar no calendário cultural da cidade. Todo ano, somos presenteados com literatura de qualidade, palestras, contação de histórias, teatro e música. E, comemorando 17 anos do evento, a edição de 2017 será, pela primeira vez, na histórica Casa França-Brasil.

A edição deste anos acontece entre os dias 26 a 29/10, com programação cultural e estandes de editoras das 10 às 20h.

A Primavera Literária o maior evento das editoras independentes do estado do Rio e promove a bibliodiversidade, que é a diversidade cultural aplicada ao mundo dos livros. Para esta edição, apresentará uma programação repleta de atrações, com um olhar atento para a realidade da cidade, imersa em uma das maiores crises de sua história: além da escalada da violência urbana, não é possível compreender o Rio sem recordar do seu antigo apelido, de “tambor do Brasil”.

Casa França-Brasil:  fachadas
A bela Casa França-Brasil. Foto: Pedro Agilson / Oca Lage

Promovido pela Liga Brasileira de Editoras (LIBRE), o evento terá destaques como a mesa “Martinho da Vila conversa sobre o Rio de Janeiro, crônicas e música”, com a presença do sambista, que vai falar  sobre sua veia literária, marcante não só nas composições como em seus livros lançados. Essa mesa vai acontecer na quinta-feira, 26/10, às 18h.

Outros destaques são as mesas “O Rio e o Rio que queremos”, uma reflexão sobre o momento atual da cidade (sábado, 28/10, às 11h); a ascensão do conservadorismo em “O conservadorismo e o retrocesso nos dias de hoje” (Domingo, 29/10, às 16h) e “A crise política e o poder no Brasil” (Sábado, 28/10, às 16h).

Também estão programadas mesas que debaterão temas estratégicos do mercado editorial, como “Edição e autopublicação” (sexta-feira, 27/10, às 16h). A mesa “Posto, logo existo: literatura em tempos de redes sociais” (domingo, 29/10, às 18h), analisará a interface entre as tecnologias analógicas e digitais, realidade em que cada vez mais são observadas correlações onde o digital assimila o analógico, e não apenas vice-versa.

A programação completa está disponível aqui.

– –
Primavera Literária
Onde: Casa França-Brasil – Rua Visconde de Itaboraí, 78 – Centro
Quando: 26 a 29/10, das 10h às 20h.
Quanto: Entrada e mesas gratuitas

Anúncios

A arte de Henri Matisse em exposição da Caixa Cultural

Chega ao Rio a exposição Henri Matisse – Jazz, com obras do pintor, desenhista e escultor francês Henri Matisse. Foram reunidas 20 pranchas impressas com a técnica au pochoir, feitas especialmente para o álbum Jazz, publicado em Paris, em 1947.

A mostra abre no dia 24/10 (terça-feira), às 19h, com visita guiada pela curadora Ana Paola Baptista, e segue em cartaz até 22/12, na Caixa Cultural, no Centro. E é gratuita!

As imagens variam da abstração a figuras de grande vivacidade, mescladas a um texto manuscrito impresso em fac-símile no qual Matisse (1869-1954) tece observações sobre assuntos diversos.

Henri Matisse - Jazz_O pesadelo do elefante branco (800)
Imagem de divulgação Caixa Cultural

Os trabalhos foram desenvolvidos por Matisse no início da década de 1940, quando, obrigado a passar longos períodos na cama e na cadeira de rodas em recuperação de uma delicada cirurgia, o artista combinou desenho e pintura em colagens feitas com papeis recortados e coloridos com guache.

A exposição em cartaz na Caixa, reúne algumas de suas mais importantes obras nesse estilo. No total, foram publicados 250 exemplares do álbum, dos quais apenas dois estão no Brasil. As obras apresentadas pertencem ao número 196, que integra o acervo dos Museus Castro Maya, no Rio de Janeiro.

– –
Henri Matisse – Jazz
Onde: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Quando: 25/10 a 22/12/17, de terça-feira a domingo, das 10h às 21h
Classificação Indicativa: Livre
Quanto: Entrada franca

 

Exposição traz acervo do grupo mineiro Giramundo para o Rio

Com uma legião de fãs de todas as idades, o grupo Giramundo produziu, em quase 50 anos de estrada, dezenas de montagens, centenas de bonecos, milhares de desenhos, horas de vídeo e um tanto mais de histórias. Consumiu madeira, gente e sonho transformando tudo isso em marionetes animadas. Parte dessa trajetória será apresentada na Mostra Mundo Giramundo, em cartaz de 12/7 a 27/8 na Caixa Cultural Rio de Janeiro, no Centro.

A exposição é gratuita e apresenta a trajetória da companhia mineira, com mais de 130 bonecos do acervo do Museu Giramundo, que preserva a maior coleção privada de marionetes das Américas. Além de conhecer as marionetes, todas confeccionadas pelo grupo, será possível aprender sobre o processo de criação e construção e descobrir como os personagens são feitos. A mostra também conta com vídeos retratando as grandes apresentações da cia.

Alice - Foto de Marcelo Nicolatto (800)

Além da exposição, o grupo Giramundo oferece o workshop gratuito Treinamento de manipulação de bonecos no dia 21/7 (sexta-feira), das 15h às 20h. A atividade pretende apresentar a metodologia de treinamento de marionetistas adotada pelo grupo utilizando os bonecos profissionais da companhia, aproximando os participantes de reais condições de formação e sensibilização. Voltada para jovens e adultos, a participação é gratuita. Serão oferecidas 20 vagas,e as inscrições deverão ser realizadas através do e-mail secretaria@giramundo.org. Os candidatos devem aguardar a confirmação da produção. (Nota da editora: informações direto com a produção do evento, não temos qualquer relação com esse workshop 😉 )

E também teremos apresentações! Nos dias 29 e 30/7 (sábado e domingo), às 16h, o grupo apresenta o espetáculo Pedro e o Lobo, de Sergei Prokofiev, um clássico que acompanha gerações, originalmente escrito em 1936 e apresentado pelo Giramundo pela primeira vez em 1993. As apresentações serão realizadas no Foyer, abertas ao público.

O Giramundo foi fundado em 1970, pelos artistas plásticos Álvaro Apocalypse, Tereza Veloso e Madu. Desde sua criação, já realizou 34 espetáculos teatrais, construindo acervo próximo de 1500 bonecos e objetos de cena. Suas montagens experimentam a figura da marionete em múltiplas formas, de bonecos manipulados por fios a mamulengos (fantoches de luva), passando por bonecos de vara, bunraku (bonecos manipulados por três atores e mochila) e adaptações próprias, como bonecos sentados, uso de máscaras e teatro de sombras, criando um variado panorama técnico e expressivo desse tipo de teatro.

Pedro e o Lobo - Acervo Giramundo (800)

– –
Mostra Mundo Giramundo
Quando: 12/7 a 27/8 (não abre às segundas), das 10h às 21h
Onde: Caixa Cultural – Av. Almirante Barroso, 25 – Centro (metrô Carioca)
Quanto: Entrada gratuita
Classificação indicativa: Livre

Workshop Treinamento de manipulação de bonecos
Quando: 21/7 (sexta-feira), às 15h
Duração: 5h
Vagas: 20
Classificação indicativa: Livre
Inscrições: secretaria@giramundo.org

Apresentação do espetáculo infantil Pedro e o Lobo
Quando: 29 e 30/7 (sábado e domingo), às 16h
Onde: Caixa Cultural Rio de Janeiro – Foyer
Quanto: Entrada gratuita
Classificação indicativa: Livre

Uerj promove roteiros a pé contando a história do samba no Rio – edição de outubro

Sucesso de público, projeto “Roteiros Geográficos do Rio” terá dois passeios no próximo sábado (15/10). Os itinerários escolhidos reúnem lugares que possuem uma forte relação com o samba. Para esta edição, os bairros escolhidos foram Centro e Copacabana.

A iniciativa une “aulas passeio” gratuitas, em diversos pontos da cidade, apresentando a geografia, arquitetura, religiosidade e cultura do cotidiano carioca. Para participar, basta comparecer aos pontos de encontro, na data e local marcados.

Pedra do Sal - roteiros

Veja os itinerários de cada aula:

– Roteiro Centro: dos lamentos do Cais do Valongo aos simbólicos batuques da Pedra do Sal e emissões da Rádio Nacional

Encontro: 10h, na confluência das ruas Sacadura Cabral e Camerino
Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ

Itinerário entre os pulsares, batuques e batidas diferentes: Jardins do Valongo (subida aos Jardins) – Cais do Valongo. Tombado pela UNESCO pelo seu  contínuo e dilacerante papel  na humanidade por ser o ancoradouro que maior número de escravos recebeu no mundo: um milhão – Rua Sacadura Cabral – Trapiche Gamboa – Pedra do Sal dos escravos, trabalhadores da estiva, do samba, do gênio Pixinguinha, do sambista João da Baiana e do pintor Heitor dos Prazeres em plena “Pequena África do Rio de Janeiro” – Largo de São Francisco da Prainha – Rua Sacadura Cabral – Nova Praça Mauá e os ecos da Rádio Nacional.

– Roteiro Copacabana: de Jobim a Drummond na orla do Rio 

Encontro: 18h, junto à Escultura interativa de Antônio Carlos Jobim, o Maestro Soberano (avenida Vieira Souto com rua Francisco Otaviano), no Arpoador
Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello    &   Profa. Dra. Melissa Anjos  – Instituto de Geografia – UERJ

Itinerário: Escultura interativa de Antônio Carlos Jobim, o Maestro Soberano (avenida Vieira Souto com rua Francisco Otaviano) – Rua Francisco Otaviano – Avenida Atlântica – Escultura de Dorival Caymmi (honra e glória da música popular brasileira) – No meio da orla há uma escultura interativa em bronze & selfies de Carlos Drummond de Andrade.         Aula passeio, grátis, a pé.

roteirope1

Os encontros são promovidos pelo NeghaRIO / PPGEO (Mestrado e Doutorado em Geografia) – Instituto de Geografia – CTC – UERJ –Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Em caso de chuva, os roteiros será cancelado.

Mais informações e contato em www.roteirosdorio.com.

– –
“Roteiros Geográficos do Rio”
Onde: Centro (encontro entre as ruas Sacadura Cabral e Camerino) e Copacabana (encontro no Arpoador)
Quando: Sábado, 15/10, às 10h (Centro) e às 18h (Copacabana)
Quanto: Grátis e não precisa de inscrição prévia

Começou o ART RIO: o evento de arte contemporânea mais esperado do ano

Até domingo (2/10), uma ótima opção para quem curte arte é visitar a sexta edição do Art Rio. A feira de arte moderna e contemporânea ocupa 3 galpões do Pier Mauá (vá de calçado confortável!) e conta com 73 galerias de arte brasileiras e estrangeiras.

Por lá, o visitante pode se deparar com obras de Di Cavalcanti, Volpi, Botero e, ao mesmo tempo, Tunga, Adriana Varejão, Franz Weissmann e Yayoi Kusama.

Palestras e lançamentos de livro fazem também parte da programação – que pode ser encontrada aqui, que conta também com eventos paralelos gratuitos, espalhando arte pela cidade.

Livros e revistas
Mais uma vez presente no evento, a editora alemã Taschen traz uma novidade: livros de arte em tamanho menor por R$70,00. Outro destaque é a edição limitada do livro do artista chinês Ai Weiwei, à venda por R$5 mil para quem estiver disposto!

A livraria Blooks também está com estande na feira, com vários livros ligados às artes.

É possível adquirir assinaturas ou comprar edições de revistas especializadas em artes, arquitetura e cultura, como a colombiana ArtNexus (que cobre o trabalho de artistas latino americanos pelo mundo) e a brasileira Bamboo.

Fotos: Cinthia Saito 

 

Eventos paralelos
Até domingo, os jardins do Palácio do Catete estão repletos de obras de arte contemporânea do Intervenções Bradesco Art Rio.

Como evento paralelo, chega também à sexta edição o Art Rua, festival de arte urbana que ocupará um espaço ainda maior que o do ano passado e com obras de mais de 30 artistas brasileiros e estrangeiros. A programação é toda gratuita e conta também com shows e festa que prometem esquentar o fim de semana.

Uma novidade desta sexta-feira (30/9) foi a inauguração oficial do Rua City Lab, laboratório de experimentações urbanas, com programação musical, loja de desin, banca de zines e publicações independentes de arte. Assim como no Pier Mauá, haverá food trucks.

img_7781

– –
Feira Art Rio
Onde: Pier Mauá – Centro (Zona Portuária)
Quando: sexta e sábado: 13h às 20h, domingo: 13h às 19h
Quanto: R$30 (inteira) e R$15 (meia) – Dá para comprar na hora ou pela internet aqui.
Como chegar: de VLT, desça na estação dos Museus ou dos Navios.

Festival Art Rua
Onde:
Galpão em Santo Cristo, na Rua Professor Pereira Reis, 76.

Shows e festas: 
Sexta: TeclaMusic (18h às 23h) e MOO ( 23h às 5h).
Sábado: Fiji (18h às 23h) e Trap’in (23h às 5h)
Domingo: BebadoSamba (18h às 23h).
Quanto: grátis

Arte contemporânea no Palácio do Catete
Onde: R. do Catete, 153 – Catete
Quanto: grátis

Texto e fotos da querida Cinthia Saito, que passou no ArtRio e trouxe todas as novidades desse ano para a gente. Ficou muito legal, obrigada!

Começou o Rio Restaurant Week! Os melhores restaurantes da cidade com preços fixos promocionais

Chegou a hora de comer bem sem ter medo de olhar a conta no final da refeição! \0/ Começou nesta segunda-feira 15ª edição do Restaurant Week na cidade, reunindo grandes restaurantes cariocas com um preço fixo, e mais acessível, no cardápio.

rio-restaurant-week_01
Atenção: post com fotos de dar água na boca!

O almoço custa R$ 44,90 e o jantar R$ 54,90 (preços por pessoa), e incluem uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Cada estabelecimento oferece duas opções de cada item e R$ 1 é doado para instituições sociais.

Para a galera que procura um menu ainda mais especial, nesta edição há também opções mais elaboradas, com preços de R$ 54,90 para almoço e R$ 68,90 para jantar, no menu Restaurant Week Plus.

Participam restaurantes do Centro, Zona Sul e Barra. Veja a lista completa dos estabelecimentos participantes, cardápios, endereços e reservas aqui.

– –
Rio Restaurant Week
Onde: restaurantes do Centro, Copacabana, Ipanema, Leblon e Barra da Tijuca
Quando: 19/9 a 9/10
Quanto: almoço R$ 44,90/ jantar R$ 54,90 (entrada + prato principal + sobremesa). Há opção de menu mais elaborado por R$ 54,90 para almoço e R$ 68,90 jantar.

 

 

Festival de jazz e comida de rua é a pedida para o pré-feriado no Rio

O Acarajazz, delicioso evento de música, gastronomia e tendências, vai ter uma edição especial nesta terça-feira (6/9), véspera de feriado, no Largo da Prainha.

acarajazz03
Acarajazz de volta ao Largo da Prainha / Foto: Facebook Acarajazz

Além das barraquinhas de comida, do tradicional acarajé e das bebidinhas para todos os gostos, o evento conta com a participação dos djs Eppinghaus e Montano e do mestre Dofono de Omolu.

acarajazz04
Já estou sonhando com esses camarões… /Foto: Facebook Acarajazz

Aberto na praça, só chegar e se divertir! A festa rola mesmo em caso de chuva! \o \o

– –
Acarajazz
Quando: 6/9, das 18h às 23h55
Onde: Largo São Francisco da Prainha – Centro
Quanto: entrada gratuita, comidas e bebidas à parte

 

150 anos de MPB com série de shows no Centro

O auditório do BNDES, no Centro, recebe, hoje e amanhã (1 e 2/8) grandes artistas nacionais para celebrar 150 anos do gênero musical que é a cara do nosso país: a MPB! Os shows fazem parte do projeto “MPB – A Alma do Brasil”, que resgata a memória da Música Popular Brasileira na voz de grandes intérpretes da atualidade.

zelia_duncan01.jpg
A cantora Zélia Duncan é uma das atrações

Todas as apresentações são gratuitas! Confira a programação:

1/8 – a partir das 19h
1. Flor Amorosa (Joaquim Callado) – Instrumental
2. Marcio Gomes canta Luar do Sertão (Catulo da Paixão Cearense e João Pernambuco)
3. Zezé Motta canta Abre Alas (Chiquinha Gonzaga)
4. João Carlos Assis Brasil apresenta Odeon e Apanhei-te cavaquinho (Ernesto Nazareth)
5. Marcos Sacramento canta Jura (Sinhô) e Se você jurar (Ismael Silva)
6. Mart’nália canta Pelo telefone (Donga)
7. Marcos Sacramento canta Benguele (Pixinguinha)
8. Zezé Motta canta Carinho (Pixinguinha)
9. Dóris Monteiro canta Conversa de botequim (Noel Rosa)
10. Mart’nália canta Último desejo e Com que roupa (Noel Rosa)
11. Márcio Gomes canta Eu sonhei que tu estavas tão linda (Lamartine Babo)
12. Ellen de Lima, Luciene Franco e Dóris Monteiro cantam Carnaval (Lamartine Babo)
13. Ellen de Lima canta Risque (Ary Barroso) e Luciene Franco canta Baixa do Sapateiro com introdução de Aquarela doBrasil (Ary Barroso)
14. Danilo Caymmi canta Maracangalha, O que é que a baiana tem e Minha Jangada (Dorival Caymmi)
15. Ataulfo Alves Jr. canta Atire a primeira pedra, Leva meu samba e Amélia (Ataulfo Alves)
16. Márcio Gomes canta Ave Maria no Morro (Herivelto Martins)
17. Zezé Motta canta Caminhemos (Herivelto Martins)
18. Fagner canta Canteiros e Mucuripe (Fagner)
19. Fagner canta Asa Branca (Luiz Gonzaga)

2/8 – a partir das 19h
1. Claudette Soares canta Copacabana (Braguinha)
2. Simone Mazzer canta Nunca (Lupicínio Rodrigues)
3. Márcio Gomes canta um Pot-pourri [Cadeira Vazia + Esses Moços + Nervos de Aço] (Lupicínio Rodrigues)
4. Leny Andrade canta Manhã de Carnaval (Antônio Maria e Luiz Bonfá)
5. Claudette Soares canta Por causa de você (Dolores Duran)
6. Simone Mazzer canta Noite do meu bem (Dolores Duran)
7. Leny Andrade canta um Pot-pourri [Garota de Ipanema + Samba do avião + Chega de saudade + Se todos fossem iguais avocê] (Tom Jobim e Vinícius de Moraes)
8. Marcos Sacramento canta Noite dos mascarados, Alfredo Del-Penho canta Vai passar e Márcio Gomes canta Bastidores (Chico Buarque)
9. Claudette Soares canta Como é grande o meu amor por você e De tanto amor (Roberto Carlos e Erasmo Carlos)
10. Marcos Sacramento canta Maria, Maria (Milton Nascimento)
11. Luciene Franco canta Força estranha (Caetano Veloso)
12. Alfredo Del-Penho canta Aquele abraço (Gilberto Gil)
13. Leny Andrade canta As rosas não falam (Cartola) e Tire o seu sorriso do caminho (Nelson Cavaquinho)
14. Imyra canta Cavaleiro da esperança e Universo do teu corpo (Taiguara)
15. Claudette Soares canta Hoje (Taiguara)
16. João Bosco canta Dois pra Lá, Dois pra Cá e Papel Maché (João Bosco)
17. Simone canta Sangrando (Gonzaguinha)
18. Zélia Duncan e todo elenco cantam O que é, o que é (Gonzaguinha)

O auditório do BNDES fica na Av. Chile, 100 – Centro.

Dica via Catraca Livre. 🙂

 

 

Domingo com teatro para crianças

A Cia Teatral Milongas segue com a segunda temporada do projeto “Arte na Praça”, com sessões gratuitas do infantil ‘Contos Fadados’ e oficina de música para a criançada. A próxima parada acontece neste domingo (24/7) na Praça 15 de Novembro, em Marechal Hermes, a partir das 10h.

“Contos Fadados” é um espetáculo interativo inspirado em jogos de mesa tipo “Detetive” ou “Scotland Yard”, em que os atores são as peças do tabuleiro e os jogadores são os próprios espectadores.

Contos Fadados  crédito Fernanda Tomaz
Foto: Fernanda Tomaz

Na trama é preciso descobrir quem roubou o livro do autor no mundo dos contos de fadas e está destruindo as histórias. Os suspeitos são os personagens excluídos destes contos: Rogério Luiz, o quarto porquinho; Chato, o oitavo anão; e Isabela, a irmã de Chapeuzinho Vermelho.

A interatividade é essencial nesta encenação. A plateia decide em vários momentos o rumo dos personagens na história.

Além do espetáculo, vai acontecer também uma oficina de criação de brinquedos e instrumentos musicais.

Tudo de graça e com classificação livre!

 

 

Dia de maldade no CCBB

Até o dia 25/7 acontece no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB RJ), a mostra “A vilania no cinema brasileiro”, exibindo os melhores vilões do nosso cinema.Trata-se de um painel que expõe formas diversas de vilania, algumas não tão óbvias, mas todas presentes na realidade cotidiana brasileira.

A maldade se apresenta em duas sessões diárias, com ingressos a R$10 / R$5 (meia).

cidade-de-deus-4
Cena do filme Cidade de Deus, que será exibido no di24/7

Confira a programação completa:

21/7
17h: Porto das Caxias – 18 anos
19h: Ato de Violência – 18 anos

22/7
17h: Girimunho – 10 anos
19h: Cidade Oculta – 16 anos

23/7
15h: Baixio das Bestas – 18 anos
16h30: O Som ao Redor – 16 anos
19h: O Anjo da Noite – 18 anos

24/7
15h: O Matador Profissional – 18 anos
16h45: A Navalha na Carne – 18 anos
18h30: Cidade de Deus – 16 anos
25/7
17h: Cidadão Boilesen – 12 anos
19h: Os Inconfidentes – 12 anos

Informações sobre cada filme aqui.

O CCBB RJ fica na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

O triunfo da cor: fomos conferir a nova exposição pós-modernista do CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil abre suas portas para receber, mais uma vez, obra-primas do Museé d’Orsay e do Museé de l’Orangerie, de Paris. A primeira, em 2012, foi a terceira exposição mais vista do mundo naquele ano. Então pode apostar que temos coisa boa vindo por aí!

IMG_6011
Habemus Van Gogh!

A abertura de “O triunfo da cor – O pós-impressionismo: obras-primas do Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerie” acontece nesta quarta-feira (20/7 – dia do amigo ❤ ) e segue em cartaz até 17/10. São apresentadas 75 obras de 32 artistas que, a partir do fim do século XIX, buscaram novos caminhos para a pintura, promovendo uma verdadeira revolução estética por meio do uso da cor. Podemos conferir os trabalhos de Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cézanne, Seurat , Matisse e outros.A curadoria da exposição é assinada pelo presidente do Musée d’Orsay, Guy Cogeval, pelo diretor cultural da Fundácion MAPFRE, Pablo Jiménez Burillo, e pela curadora do Musée d’Orsay, Isabelle Cahn (chique, né?).

IMG_6082.JPG
Rolou até cobertura no nosso snap: @riodegraca. Segue lá!

“O triunfo da cor” já passou pelo CCBB de São Paulo, atraindo mais de 172 mil visitantes. A expectativa é de filas. Para não deixar ninguém entediado, o Educativo do CCBB preparou algumas surpresas, como a presença de personagens retratados nos quadros (!!!) explicando aos visitantes aspectos do pós-expressionismo e contando algumas curiosidades sobre os autores e suas obras.

IMG_6044
Um dos personagens da exposição. Não vamos contar quem é para não estragar a surpresa. Quem descobrir, conta pra gente!

Fui conferir a exposição e realmente está incrível. Poder ver ao vivo, de pertinho, obras-primas (daquelas que só víamos nos livros de História ou Artes) é emocionante!

Outra novidade super legal é que a exposição conta também com o aplicativo “O triunfo da cor” (disponível para iOS e Android), com informações sobre as obras, as divisões temáticas de cada sala, tour virtual, áudio guia a partir do QR Code disponível em cada quadro e uma brincadeira sensacional: transformar suas fotos em obras de arte! Cada filtro é com a técnica de um artista e dá para salvar suas produções.

O lema do Rio de Graça é “facilitar a vida em tempos de Rio Surreal”, então uma funcionalidade que amamos no app é a possibilidade de agendar sua visita ao CCBB. Você escolhe dia e hora e não precisa pegar fila. Tudo de graça! \o \o \o

A curadora do Musée d’Orsay, Isabelle Cahn, fez uma visita guiada explicando sobre as obras

O CCBB funciona de quarta a segunda-feira (fechado às terças), das 9h às 21h.
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

IMG_6047
surpresas no saguão!

 

 

 

 

Festival Coro Come chega ao Centro: dezenas de opções gastronômicas por até R$20

Comida de verdade! Com a ideia de democratizar o conceito da gastronomia, o festival Coro Come faz sua nona edição neste domingo (17/7), das 12h às 21h na Praça Marechal Âncora, no Centro.

CoroCome_03

Todos os pratos servidos no Coro Come não passam de R$ 20. São aproximadamente 40 barracas que oferecem desde lanches até pratos feitos, picolés, doces, cervejas artesanais, drinks, e opções de comida vegetariana e vegana.

Vai rolar também show com o trio Beach Combers (17h), oficina de experimentações artísticas “Bandeiras na Praça” com Anita Sobar e trilha sonora em vinil com os DJs Calani, Alex Paz e DJ 440, de Recife.

Processed with VSCO with c1 preset

Outras manifestações culturais, como ‘live painting’ com Miguel Afa e o projeto ‘Poemas Expressos’, com Nathascha Francis, também estarão no cardápio dessa edição.

A Praça Marechal Âncora fica no Centro Histórico, ao lado da Praça XV. Veja aqui como chegar.

 

 

Filmes tailandeses premiados em cartaz no Centro

Conhece o cinema tailandês? Pois é, também não. Mas tenho aqui uma boa oportunidade para aprendermos mais sobre a cultura tailandesa a partir dos seus filmes. A mostra Cinema Tailandês, em cartaz na Caixa Cultural, apresenta neste final de semana (15, 16 e 17/7) filmes premiados em importantes festivais internacionais.

Na programação,“As Damas de Ferro”, baseado em fatos reais e menção especial no Festival de Berlim; “Seda Negra”, indicado ao Urso de Ouro no Festival de Berlim; “Ponto de Fuga”, vencedor do Tigre de Ouro do Festival de Rotterdam e “História Mundana”, também vencedor do Tigre de Ouro do Festival de Rotterdam.

cinema_tailandes01.jpg

A mostra segue até dia 24/7, com filmes de terça a domingo. Os ingressos custam R$4 (inteira) e R$2 (meia).

Confira a programação completa:

15/7(sexta−feira)
17h – Perigo em Bangkok (2000), de Danny Pang e Oxide Pang, Tailândia, Digital, 105 min, 16 anos.
19h – As Damas de Ferro (2000), de Yongyoot Thongkongtoon, Tailândia, Digital, 104 min, Livre.

16/7 (sábado)
16h15 – Seda Negra (1961), de Ratana Pestonji e Ratanavadi Ratanabhand, Tailândia, Digital, 129 min, 12 anos.
18h45h – Ponto de Fuga (2015), de Jakrawal Nilthamrong, Tailândia/Holanda, Digital,100 min, 14 anos.

17/7 (domingo)
17h10 – História Mundana (2009), de Anocha Suwichakornpong, Tailândia, Digital, 82 min, 10 anos.
19h – Perigo em Bangkok (2000), de Danny Pang e Oxide Pang, Tailândia, Digital, 105 min, 16 anos.

19/7 (terça−feira)
17h – As Damas de Ferro (2000), de Yongyoot Thongkongtoon, Tailândia, Digital,104 min, Livre.
19h – Síndromes e Um Século (2006), de Apichatpong Weerasethakul, Tailânda / França / Áustria, Digital, 105 min, 10 anos.

20/7 (quarta−feira)
17h – Ponto de Fuga (2015), de Jakrawal Nilthamrong, Tailândia/Holanda, Digital, 100 min, 14 anos.
19h – História Mundana (2009), de Anocha Suwichakornpong, Tailândia, Digital, 82 min, 10 anos.

21/7(quinta−feira)
17h – Tio Boonmee, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas (2010), de Apichatpong Weerasethakul, Tailândia / Reino Unido / França / Alemanha / Espanha / Holanda, Digital, 114 min, 10 anos.
19h30 − Tongpan (1977), de Euthana Mukdasanit e Surachai Jamtimatorn, Tailândia, Digital, 63 min, 10 anos.

22/7 (sexta−feira)
16h00 – Transistor Monrak (2002), de Pen-Ek Ratanaruang, Tailândia, Digital, 129 min, 14 anos.
18h30 – Para Sempre Seu (1955), de Ratana Pestonjii, Tailândia, Digital, 112 min, 10 anos.

23/7(sábado)
14h50 – Síndromes e Um Século (2006), de Apichatpong Weerasethakul, Tailânda / França / Áustria, Digital, 105 min, 10 anos.
17h – Tio Boonmee, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas (2010), de Apichatpong Weerasethakul, Tailândia / Reino Unido / França / Alemanha / Espanha / Holanda, Digital, 114 min, 10 anos.
19h30 – Debate O Cinema Tailandês na Contemporaneidade.
Com Ruy Gardner e Victor Dias. Mediando o  debate Fabiano de Freitas.

24/7(domingo)
16h – O Cidadão (1977), de Chatrichalerm Yukol, Tailândia, Digital, 124 min, 10 anos.
18h20 – Freelance: Ataque do Coração (2015), de Nawapol Thamrongrattanarit, Tailândia, Digital, 130 min, Livre.

A Caixa Cultural fica na Av. Almirante Barroso, 25 – Centro.

cinema_tailandes02.jpg

Acarajazz faz edição em praça revitalizada no Centro

O Acarajazz, evento polivalente de música, gastronomia e tendências, terá sua próxima edição, no dia 9/7, no mais novo espaço público da cidade: a Praça Marechal Âncora (ao lado da Praça XV), no Centro.

O local receberá a Ocupação Frente Marítima, levando suingue, energia e, principalmente, gente para esse espaço que é do povo carioca e está revitalizado, prontinho para ser usado!

DSC_8251

Os DJs Eppinghaus e Montano garantem a animação da pista, passando pelos sons da novíssima música brasileira e de sons latinos e africanos. O conjunto de jazz Bondesom fará 3 sets de música ao vivo animando o baile com versões instrumentais e suingadas de Dominguinhos.

Na gastronomia, estarão presentes o restaurante Casa do Sardo, Quitutes da Luz, Browneríssimo, Bar do Dom, Inhame Inhame, O cuscuzeiro, VegeTal, Pão de Costela, Currywurst Berlin, Belga Wafel, Seja Doce, Tipi’oka  entre outros. Teremos também cervejas artesanais trazidas pela Cerva Rock, Hija de Punta e pela Brewcicleta e a cachaça mineira artesanal Zé Barbosa. O acarajé, carro chefe do evento, também estará presente na barraca da baiana Tia Cotinha e da baiana Sonia.

mapa_acarajazz

O Acarajazz acontece das 12h às 21h, na Praça Marechal Âncora (ao lado da Praça XV, em frente ao restaurante Albamar), no Centro.

Grátis!

Uerj promove roteiros a pé contando a história do samba no Rio – edição de julho

Sucesso de público, projeto “Roteiros Geográficos do Rio” terá duas edições em comemoração ao Ano do Samba na Uerj, nos dias 01/7 e 10/7. Os itinerários escolhidos reúnem lugares que possuem uma forte relação com o samba.

roteirope1

A iniciativa une “aulas passeio” gratuitas, em diversos pontos da cidade, apresentando a geografia, arquitetura, religiosidade e cultura do cotidiano carioca.

Para participar, basta comparecer aos pontos de encontro, na data e local marcados.

Os encontros são promovidos pelo NeghaRIO / PPGEO (Mestrado Doutorado em Geografia) – Instituto de Geografia – CTC – UERJ –Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Cais do Valongo- reproduçãodewww.cidadeolimpica.com.br
Cais do Valongo

Confira abaixo o itinerário dos roteiros:

01/7, sexta-feira, às 10h – ‘Ecos da Cultura na Cidade Nova e na Praça Onze dos Bambas’

Itinerário: Escultura de Ismael Silva (assinatura Otto Dumovich) – Conjuntos Residenciais Ismael Silva & Zé Kéti (Minha Casa, Minha Vida) – Rua Neri Pinheiro, Cidade Nova (os aterros sobre o  mangal de São Diogo, o surgimento da Cidade Nova, o bairro do Mangue e da zona do baixo meretrício, a memória simbólica da prostituição nos logradouros e torres do centro administrativo da Cidade Nova), Petrobrás, Igreja Evangélica, as diversas camadas de aterros, cultura e transformações espaciais na Cidade Nova – memória simbólica na Cidade Nova do maxixe e do chorinho, Correios, Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Ana Néri, a monumental Avenida Presidente Vargas, Praça Onze (berço do samba e lugar de  manifestações religiosas e culturais dos negros da “Pequena África do Rio de Janeiro”), tradicionais lugares do carnaval carioca, monumento a Zumbi dos Palmares, Passarela do Samba / ‘Sapucaí’ do maior espetáculo da Terra /Avenida Darcy Ribeiro,  Terreirão do Samba / palco João da Baiana,  vista para o morro da Favela / Providência,  Escola Tia Ciata,  Igreja de Santana (visita).

roteirope2

10/7, domingo, às 10h – ‘Dos Lamentos do Cais do Valongo aos Simbólicos Batuques da Pedra do Sal e Emissões da Rádio Nacional’

Itinerário: entre os pulsares, batuques e batidas diferentes: Jardins do Valongo (subida aos Jardins) – Cais do Valongo. Tombado pela UNESCO pelo seu  contínuo e dilacerante papel  na humanidade por ser o ancoradouro que maior número de escravos recebeu no mundo: um milhão – Rua Sacadura Cabral – Trapiche Gamboa –  Pedra do Sal dos escravos, trabalhadores da estiva, do samba, do gênio Pixinguinha, do sambista João da Baiana e do pintor Heitor dos Prazeres em plena “Pequena África do Rio de Janeiro” – Largo de São Francisco da Prainha – Rua Sacadura Cabral – Nova Praça Mauá e os ecos da Rádio Nacional.

Mais informações: www.roteirosdorio.com