Yes, nós temos a melhor moda praia do mundo! Exposição no CCBB narra a história do biquíni no Brasil

* Mais uma super colaboração da antenadíssima Cinthia Saito, que sempre traz as dicas mais hypes da cidade 😉

Fui ao CCBB RJ com a expectativa de encontrar uma boa retrospectiva dos 70 anos do biquíni. Mas, para o meu espanto (e êxtase!), vi uma verdadeira pesquisa etnográfica tendo como pano de fundo a história dessa peça.

Claro, não há como não abordar o assunto “corpo” quando se fala na peça que passou a mostrar o umbigo, em épocas em que os trajes de banho quase não deixavam as pernocas aparentes…

A curadoria de Lilian Pacce foi excepcional e nao deixou escapar nenhum detalhe. Foi das über models, que marcaram época, como Gisele e Shirley Mallmann, passando pela criação de estampas e texturas memoráveis de marcas brasileiras como Lenny Niemeyer, Rosa Chá, Salinas, Adriana Degreas, e sem esquecer, lógico, das atuais fitas isolantes que dão marquinha. 😎

Biquini_no_ccbb01

Outro ponto alto da exposição são peças da cultura indígena, antigas, bem feitas, trabalhadas milímetro a milímetro. Me encantei também com as fotos de corpos e cores belíssimos.

Você também pode conferir também itens da moda praia que não são comumente vendidos em lojas. São peças de desfiles, únicas, poderosas, como o maiô de couro de pirarucu da Osklen. Maravilhoso! Bafônico! Polêmico! Mas também não-sustentável, claro.

Ou seja: está incrível, queridas(os) leitoras(es), é uma exposição que dá orgulho de ver a contribuição do Brasil nesse ramo. (Sentimento raro nos dias de hoje…) Vale a pena conferir! Vai até 10 de julho, das 9h às 21h. Só fecha às terças.

Obs.: Só deu uma dorzinha no peito ver o café do terceiro andar fechado. Dizem que foi a crise. 😕

Texto e fotos: Cinthia Saito. 

– – –
Yes, nós temos biquíni
Onde: CCBB RJ – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro (Praça XV/Candelária)
Quanto: Entrada gratuita
Quando: até 10/7, das 9h às 21h. Não abre às terças-feiras.

Anúncios

Greve de 1979 é tema de peça que vem lotando sala de teatro do CCBB

Passado Presente

Prepare-se para três horas de mergulho dentro da greve dos metalúrgicos do ABC paulista de 1979. Conheça as reivindicações, assembleias e atos por quem os fez. A História costuma contar os fatos a partir de um ponto de vista distante do ocorrido, através do olhar externo, observador.

A aclamada Companhia do Latão – cuja uma de suas bases é dar luz aos problemas sociais do Brasil – nos dá a oportunidade de aprender a história brasileira pela voz de quem a construiu. Após temporada em São Paulo e apresentações em Salvador, Natal, Recife e Belo Horizonte, o espetáculo “O Pão e a Pedra” segue em temporada até 13/2 no CCBB do Rio de Janeiro.

O cotidiano de operárias e operários em cena. Suas vidas, expectativas e desejos. Os diferentes pontos de vista dentro do movimento. As articulações, debates, o apoio dos estudantes, de parte da Igreja Católica e da sociedade. Com uma profunda pesquisa em livros, artigos, filmes, documentos e entrevistas, a Companhia apresenta este mundo do trabalho nas fábricas, revisitando este momento da greve histórica. A obra é, portanto, fundamental para entendermos o período político sombrio e efervescente que estamos vivendo.

Através de elementos realistas, vemos a construção das cenas, tanto na cenografia quanto na dramaturgia. Há música ao vivo, elemento importantíssimo. Há troca de personagens. Canto, riso, choro. Entre drama e comédia, as soluções cênicas são várias e criativas ao se tratar de um assunto tão denso. A plateia ri das cenas mais descontraídas e torce pelos personagens.

o-pao-e-a-pedra-_-5-_-cia-do-latao-_-credito-lenise-pinheiro

Versos de Vinícius de Moraes são entoados: “O que via o operário/O patrão nunca veria./(…)E em cada coisa que via/Misteriosamente havia/A marca de sua mão/E o operário disse: Não!”. Em dado momento, em cena que operárias escutam uma importante assembleia pelo radinho, ouve-se parte do discurso original daquele que foi a grande liderança sindical e que, anos mais tarde, viria a tornar-se presidente do Brasil. É emocionante.

Passamos tantas horas naquele teatro, que nos sentimos parte do movimento, queremos votar as questões, aplaudir os discursos. No dia do falecimento de Marisa Letícia Lula da Silva a sessão foi dedicada à memória dela, sua vida e luta.

A condição de vida e trabalho das mulheres também é posta em debate. Uma das personagens disfarça-se de homem para conseguir melhor salário e sustentar a si e a seu filho, sozinha. Outra, militante, emprega-se na fábrica para participar de perto da luta. E há a que esconde a gravidez para que não a demitam. Greve, desigualdade social/econômica/de gênero, violência policial e militar, Fiesp, ditadura, grande mídia, a força da união, mobilização, perseguições, as lutas específicas como a luta de todo o povo brasileiro, “a miséria do capital”. O que, desde então, mudou?

A Companhia do Latão completa 20 anos de existência neste ano de 2017. O espetáculo foi criado nos primeiros meses de 2016 – eles avisam logo de início. As sessões seguem lotando. E nós, saímos do teatro com – mais que uma sensação – a certeza de que a luta é necessária e continua. E que é preciso não esquecer o passado para não sucumbirmos no tempo presente.

Aline Miranda
página oficial

– –
Para aproveitar melhor os eventos, a gente sempre sugere deixar o carro em casa. A Cabify é uma empresa de tecnologia que conecta quem quer se movimentar pela cidade com estilo e segurança a um motorista particular que te leva a qualquer lugar!

Baixe o app (para iOS e Android) e com o voucher “RIODEGRACA”, você ganha a primeira corrida gratuita de até R$20! Leia aqui como foi nossa experiência com a Cabify.

– –

O Pão e a Pedra
Onde: 
Centro Cultural Banco do Brasil, teatro III: Av. Primeiro de Março, 66, Centro.
Quando: Até 13/2, quarta a domingo às 19h30.
*Duração: Dois atos totalizando 170 minutos (ato I: 1h35 / intervalo: 15 min /ato II: 1h).
Quanto: R$ 20 (inteira) / R$10 (meia) * Estudantes, idosos e clientes Banco do Brasil pagam meia!
Telefone: 3808-2020
Classificação etária: 16 anos

CCBB faz série de shows e festas de madrugada no Centro

Até fevereiro, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB RJ) promove uma série de festas, shows e intervenções artísticas no seu pátio externo. As apresentações acontecem uma vez por mês e rolam por toda a madrugada!

As entradas são gratuitas, por ordem de chegada, e há venda de bebida e comida no local. O “Madrugada no Centro” acontece sempre sábado, das 22h às 4h.

festa-odara_foto-felipe-prado1
Foto: Sinclair Ferreira Maia

Confira quem vai tocar nas próximas edições!

Dezembro – 17/12
DIVERSIDADES: 
Lineker e banda, com participação especial de Alice Caymmi + Festa Odara

O cantor e multiartista Lineker (não confundir com o Liniker, também mara) apresenta ao público o show de seu mais recente álbum. Acompanhado de sua banda, o artista flerta de forma intensa com o pop experimental contemporâneo e a nova MPB, e ainda traz para o palco toda sua bagagem de bailarino e performer, em um espetáculo intenso, performático e visceral. A participação especial ficará por conta de Alice Caymmi, terceira geração da família Caymmi. Seu recente disco, Rainha dos raios, é uma descarga eletrizante de criatividade no universo pop.

Festa Odara: música brasileira da melhor qualidade, o repertório vai de Caetano Veloso, Os Mutantes, Zé Keti, Luiz Gonzaga, Rita Lee, Raul Seixas a Bonde do Rolê, Robertinho do Recife, Wando, Reginaldo Rossi, entre outros.

– –
Madrugada no Centro
Onde: área externa do CCBB RJ – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Quando: todo mês, até fevereiro de 2017
Quanto: entrada gratuita, por ordem de chegada (800 lugares)

– –
Para aproveitar melhor os eventos, a gente sempre sugere deixar o carro em casa. A Cabify é uma empresa de tecnologia que conecta quem quer se movimentar pela cidade com estilo e segurança a um motorista particular que te leva a qualquer lugar!

Baixe o app (para iOS e Android) e com o voucher “RIODEGRACA”, você ganha a primeira corrida gratuita de até R$20! Leia aqui como foi nossa experiência com a Cabify.

Dia de maldade no CCBB

Até o dia 25/7 acontece no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB RJ), a mostra “A vilania no cinema brasileiro”, exibindo os melhores vilões do nosso cinema.Trata-se de um painel que expõe formas diversas de vilania, algumas não tão óbvias, mas todas presentes na realidade cotidiana brasileira.

A maldade se apresenta em duas sessões diárias, com ingressos a R$10 / R$5 (meia).

cidade-de-deus-4
Cena do filme Cidade de Deus, que será exibido no di24/7

Confira a programação completa:

21/7
17h: Porto das Caxias – 18 anos
19h: Ato de Violência – 18 anos

22/7
17h: Girimunho – 10 anos
19h: Cidade Oculta – 16 anos

23/7
15h: Baixio das Bestas – 18 anos
16h30: O Som ao Redor – 16 anos
19h: O Anjo da Noite – 18 anos

24/7
15h: O Matador Profissional – 18 anos
16h45: A Navalha na Carne – 18 anos
18h30: Cidade de Deus – 16 anos
25/7
17h: Cidadão Boilesen – 12 anos
19h: Os Inconfidentes – 12 anos

Informações sobre cada filme aqui.

O CCBB RJ fica na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

O triunfo da cor: fomos conferir a nova exposição pós-modernista do CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil abre suas portas para receber, mais uma vez, obra-primas do Museé d’Orsay e do Museé de l’Orangerie, de Paris. A primeira, em 2012, foi a terceira exposição mais vista do mundo naquele ano. Então pode apostar que temos coisa boa vindo por aí!

IMG_6011
Habemus Van Gogh!

A abertura de “O triunfo da cor – O pós-impressionismo: obras-primas do Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerie” acontece nesta quarta-feira (20/7 – dia do amigo ❤ ) e segue em cartaz até 17/10. São apresentadas 75 obras de 32 artistas que, a partir do fim do século XIX, buscaram novos caminhos para a pintura, promovendo uma verdadeira revolução estética por meio do uso da cor. Podemos conferir os trabalhos de Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cézanne, Seurat , Matisse e outros.A curadoria da exposição é assinada pelo presidente do Musée d’Orsay, Guy Cogeval, pelo diretor cultural da Fundácion MAPFRE, Pablo Jiménez Burillo, e pela curadora do Musée d’Orsay, Isabelle Cahn (chique, né?).

IMG_6082.JPG
Rolou até cobertura no nosso snap: @riodegraca. Segue lá!

“O triunfo da cor” já passou pelo CCBB de São Paulo, atraindo mais de 172 mil visitantes. A expectativa é de filas. Para não deixar ninguém entediado, o Educativo do CCBB preparou algumas surpresas, como a presença de personagens retratados nos quadros (!!!) explicando aos visitantes aspectos do pós-expressionismo e contando algumas curiosidades sobre os autores e suas obras.

IMG_6044
Um dos personagens da exposição. Não vamos contar quem é para não estragar a surpresa. Quem descobrir, conta pra gente!

Fui conferir a exposição e realmente está incrível. Poder ver ao vivo, de pertinho, obras-primas (daquelas que só víamos nos livros de História ou Artes) é emocionante!

Outra novidade super legal é que a exposição conta também com o aplicativo “O triunfo da cor” (disponível para iOS e Android), com informações sobre as obras, as divisões temáticas de cada sala, tour virtual, áudio guia a partir do QR Code disponível em cada quadro e uma brincadeira sensacional: transformar suas fotos em obras de arte! Cada filtro é com a técnica de um artista e dá para salvar suas produções.

O lema do Rio de Graça é “facilitar a vida em tempos de Rio Surreal”, então uma funcionalidade que amamos no app é a possibilidade de agendar sua visita ao CCBB. Você escolhe dia e hora e não precisa pegar fila. Tudo de graça! \o \o \o

A curadora do Musée d’Orsay, Isabelle Cahn, fez uma visita guiada explicando sobre as obras

O CCBB funciona de quarta a segunda-feira (fechado às terças), das 9h às 21h.
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

IMG_6047
surpresas no saguão!

 

 

 

 

Último dia da exposição ComCiência, no Centro

Quem não conseguiu conferir as obras hiper-realistas de Patricia Picciani, tem uma última chance hoje (27/6).

Isso porque o CCBB carioca abre às segundas-feiras, dando aquela ajudinha aos enrolados (tipo eu, quem sempre deixo para ir nos últimos dias).


Na exposição, as famosas esculturas da artista australiana mesclam hiper-realismo com surrealismo e, ainda, algumas instalações feitas para a temporada no Rio.

O CCBB RJ é gratuito e fica aberto das 9h às 21h. Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

Festival de cinema polonês no CCBB

O 6º Festival de Cinema Polonês faz sua estreia no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Centro. Entre os dias 8 e 13/6 serão exibidas as melhores produções cinematográficas da Polônia, muitas inéditas aqui!

Serão seis longas de ficção e seis curtas documentários, refletindo as múltiplas linguagens de novos cineastas poloneses. E as exibições todas gratuitas!

13384718_10209485116822736_1541146137_n

Confira a programação:

>> Dia 08/06 – QUARTA
15h30 – Curtas Bloco 1: O Objeto 15′ / Nossa Maldição 28′ / Rogalik 17′, livre
17h – A MOÇA DO ARMÁRIO / DZIEWCZYNA Z SZAFY, 88 min, 16 anos
19h30 – DEUSES / BOGOWIE, 112 min, 16 anos

>> Dia 09/06 – QUINTA
15h30 – Curtas Bloco 2: Superunidade 19′ / Ponto de Partida 25′ / 7 Homens de diferentes idades 12′, livre
17h – A PROMESSA / OBIETNICA, 93 min, 16 anos
19h – JEZIORAK / JEZIORAK, 94 min, 16 anos

>> Dia 10/06 – SEXTA
15h – VARSÓVIA 44 / MIASTO 44, 122 min, 16 anos
17h15 – PRÉDIOS FLUTUANTES / PŁYNĄCE WIEŻOWCE, 89 min, 16 anos
19h – DEUSES / BOGOWIE, 112 min, 16 anos

>> Dia 11/06 – SÁBADO
13h30 – Curtas Bloco 1: O Objeto 15′ / Nossa Maldição 28′ / Rogalik 17′, livre
15h – PRÉDIOS FLUTUANTES / PŁYNĄCE WIEŻOWCE, 89 min, 16 anos
17h – A MOÇA DO ARMÁRIO / DZIEWCZYNA Z SZAFY, 88 min, 16 anos
19h – VARSÓVIA 44 / MIASTO 44, 122 min, 16 anos

>> Dia 13/06 – SEGUNDA
15h30 – Curtas Bloco 2: Superunidade 19′ / Ponto de Partida 25′ / 7 Homens de diferentes idades 12′, livre
17h – JEZIORAK / JEZIORAK, 94 min, 16 anos
19h – A PROMESSA / OBIETNICA, 93 min, 16 anos13396742_10209485114142669_859252449_o

O CCBB fica na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

 

Madrugada no Centro em clima de pré carnaval

*Atualizado: o evento será no sábado, 9/1. 🙂

A próxima edição da Madrugada no Centro promete ser no ritmo de carnaval! O evento, que acontece mensalmente na área externa no CCBB RJ, acontece no próximo sábado, 9/1, às 23h e, o melhor, de graça!

Quem abre a festa é o Marcelinho da Lua. Em seguida, entra Geraldo Jr. e a Terreirada Cearense. Depois é a vez do Agytoê e Pedro Luís. A próxima a se apresentar é Letícia Novaes. Marcelinho da Lua volta às carrapetas, com um ‘live’ em conjunto com Letícia Novaes.

O projeto pretende resgatar a tradição boêmia e musical do Centro do Rio, em linha com o movimento de revitalização da região. A entrada será por meio de distribuição de senhas no dia do evento, de 20h às 21h, na bilheteria do CCBB-RJ.

Ah, a classificação é 18 anos.

O CCBB RJ fica Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

Castelo RÁ-TIM-BUM no Rio: dicas para conferir a exposição sem filas

Invadimos o Castelo! 🙂

Fomos conferir a exposição mais falada e esperada do ano: Castelo Rá-TIM-BUM no CCBB do Rio!

Separamos algumas dicas preciosas para quem não quer mofar na fila e, de quebra, instigamos a curiosidade de quem não vê a hora de reencontrar Zeca, Nino, Pedro e Biba.

Ah, as informações abaixo podem conter alguns spoilers (nota da editora: contar uma parte da exposição sobre algo que já aconteceu, seria spoiler?) 

A exposição comemora os 20 anos da estréia da série da TV Cultura, recriando e apresentando cenários, fotos, figurinos dos personagens e objetos de cena do programa exibido de maio de 1994 a dezembro de 1997.

“Castelo Rá-TIM-BUM: a exposição” fica no CCBB RJ até 11/01/2016, de quarta a domingo, das 9h às 20h30.

De graça! ❤ ❤

(Para quem não aguenta esperar, confira aqui fotos da exposição)

Agora vamos para as dicas:

  • Chegue cedo!

Todo mundo pensa em ir no mesmo horário, ao final do dia e nos finais de semana. Aí formam aquelas filas intermináveis, e o pior, não dá para conferir os detalhes da exposição. Por isso, quanto mais cedo, mais vazio. Tente ir antes da aula ou do trabalho, ou no horário de almoço, se estiver pelo Centro.

Fomos em uma segunda-feira, às 9h e tinham apenas TRÊS pessoas, sem agendamento, com tempo e espaço para fazer todas as selfies que desse vontade. 😉

  • Faça agendamento online

Se você não tem tempo para ir nos horários “alternativos” que citamos acima, uma boa opção é agendar sua visita pelo site do Ingresso Rápido ou no aplicativo (na App Store e Google Play). Funciona assim:

>> Baixe o aplicativo. Após o cadastro, basta fazer login, selecionar a mostra Castelo Rá-Tim-Bum – A Exposição e reservar o ingresso. Depois, quando chegar ao CCBB, ir em “Meus Ingressos” no próprio aplicativo e apresentar o QR Code ao monitor para receber a senha que dá acesso à visita.

>> O agendamento também poderá ser realizado pelo site www.ingressorapido.com.br. Na aba Agenda Rio de Janeiro, procurar o evento Castelo Rá-Tim-Bum – A Exposição. Nesse caso os usuários precisarão trazer o ingresso impresso.

O agendamentos serão de hora em hora: 09h30, 10h30, 11h30, 12h30, 13h30, 14h30, 15h30, 16h30, 17h30, 18h30, 19h30 (último horário). Cada CPF poderá fazer 1 agendamento por dia e cada 1 CPF pode levar até 3 acompanhantes.

  • O CCBB abre segunda

Uma grande sacada do Centro Cultural é abrir às segundas-feiras, dia em que, normalmente, os museus estão fechados. Por isso, muitas pessoas esquecem que o CCBB tem esse dia disponível, o que deixa as exposições menos cheias. Um bom programa para começar a semana bem cultural, não? 😉

  • Evite bolsas grandes

Mochilas não entram e, apesar do espaço contar com guarda-volumes, não há espaço para guardar os pertences de todo mundo. Prefira ir com bolsas pequenas, ou guarde a mochila assim que chegar ao espaço.

  • Vá com tempo para olhar tudo

Além de recriar os cenários e figurinos, há uma parte da exposição com vídeos de entrevistas com os atores e produtores da série. Eles/elas contam muitas curiosidades das gravações, vale a pena gastar um tempo para assistir tudo.

  • Relembre a infância e seja feliz! 

Há tanta coisa para lembrar: ratinho tomando banho, Caipora, Etevaldo, Mau, Porteiro, passarinhos cantores… A exposição retrata fielmente cada pedacinho do Castelo. Aproveite para relembrar seus/suas personagens preferidos/as desta série que marcou a infância de muita gente!

Nota da editora: Ano passado fui conferir esta mesma exposição no MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo. A produção original foi feita por eles, então alguns espaços não ficaram tão legais no CCBB RJ como ficaram no MIS. Em Sampa a gente podia entrar no quarto do Nino pela parede giratória (!!!), por exemplo. E havia mais atrações interativas. Mas nada que tire o brilho e a alegria que receber Tio Victor, Morgana, Nino e cia em terras cariocas. 😉

CCBB apresenta ciclo de palestras sobre grandes pensadores

Rolland Barthes, Jean-Paul Sartre, Gilles Deleuze e Hannah Arendt. A partir da visão desses quatro pensadores o CCBB traz uma série de encontros gratuitos, reunindo intelectuais e escritores do Brasil, da França e da Alemanha.

A proposta é pensar a contribuição dos quatro para questões atuais ligadas a política, leitura, educação, ecologia e arte. O evento fornecerá diploma da PUC Rio.

“Como um intelectual nos ajuda a lidar com a gravidade do desastre educacional, do desastre ecológico e da miséria? Que instrumentos oferece para contestar abusos de poder, incentivar a leitura ou entender o papel da arte e o que é cultura?As perguntas vão além: por que o tempo, para o intelectual, não tem a pressa do mercado? Quem vive do pensar tem de ir à rua, se envolver na política, atuar concretamente sobre a realidade?”

Curadoria: Clarisse Fukelman e Gustavo Chataignier.

Confira as datas dos próximos encontros (as senhas são entregues sempre uma 1h antes):

  • 24 de setembro (5ªf), 18h30

    Admirável mundo novo: instrumentalização e pensamento nômade

    Arendt critica certos usos das ciências, em sintonia com suas idéias sobre juízo político, poder, violência, memória e sujeito legislador. Deleuze e Guattari iluminam o fenômeno recente de ocupações das cidades, pouco apreensível pelas ciências sociais e políticas tradicionais ou pelo campo da arte strictu sensu. O pensar nômade ou anti-totalitário de Arendt e Deleuze se abre à afirmação ativa, avessa à instrumentalização do cotidiano.

    Com: Wolfgang Heuer e Barbara Peccei Szaniecki

    Mediação: Adriana Braga

  • Dia 28 de setembro (2ªf), 18h30

    Modos de escrita: da linha ao labirinto

    Ao praticar diferentes tipos de escrita e ao entender leitura como escritura e vice-versa Barthes subverte as barreiras entre escrita e crítica e provoca o “rumor da língua”. Deleuze revela a estreita ligação entre a filosofia e a literatura. Ele ajuda-nos a compreender tendências poéticas modernas e a produção escrita de autores contemporâneos.

    Com: Christian Prigent e Ana Maria Amorim

    Mediação: Ítalo Moriconi

O CCBB fica na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

Homenagem a Gonzaguinha no CCBB

Gonzaguinha marcou seu nome na música brasileira. Este ano, assim como outros grandes cantores, também faria 70 anos. Em homenagem a data, o grupo As Chicas levam ao CCBB o projeto “Moleque Gonzaguinha”.

A cada noite, diferentes convidados sobre ao palco, relembrando sucessos de Gonzaguinha.

E os ingressos? Na faixa #riodegraça: inteira R$10 e meia R$5 (para estudantes, idosos e portadores de cartão pré-pago do Metrô Rio)

Confira as datas das apresentações e convidados:

– 11/7 – Fernanda Gonzaga e Zizi Possi
– 18/7 – Daniel Gonzaga e Elza Soares
– 25/7 – Elba Ramalho

Todos os shows serão às 21h.

Os ingressos podem ser comprados antecipadamente no site do Ingresso Rápido.

Teatro de Nelson Rodrigues no CCBB

Até 31/5, está em cartaz no CCBB a peça Anti-Nelson Rodrigues, clássico da dramaturgia brasileira. O espetáculo faz uma reflexão sobre o comportamento familiar, numa trama de assédios, ameaças, ciúmes e poder.

A trama narra a história de Oswaldinho, jovem mimado pela mãe e desprezado pelo pai. Inescrupuloso, ladrão, mentiroso e mulherengo, se torna dono de uma das fábricas do pai e se apaixona por uma funcionária recém-contratada, a jovem e incorruptível Joice.

A direção é de Bruce Gomlevsky. No elenco, destaque para o veterano Tonico Pereira.

Ingressos ao padrão Rio de Graça: Inteira R$10 e meia R$5. E podem ser adquiridos pela internet, clicando aqui.

Anti-Nelson Rodrigues está em cartaz de quarta a domingo, às 19h30.

Além deste espetáculo, também está em cartaz no CCBB o musical Contra o Vento.

CCBB RJ fica na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

Madrugada de música e cultura no CCBB

O Centro Cultural do Banco do Brasil completa 25 anos de atividades no Rio e vai fazer um evento muito especial para celebrar a data: Madrugada no Centro!

Tudo de graça, como a vida deve ser! 😉

Hoje rola show da Tulipa Ruiz, Festa SOPA e visitação aberta às exposições do museu até a meia-noite!

A comemoração acontece no estacionamento do CCBB. Como o espaço comporta 1.000 pessoas, por isso serão distribuídas senhas a partir das 20h. Mas quem não conseguir garantir a entrada ainda pode ficar na área externa e visitar às exposições.

Então corre pro Centro que a boa de hoje é o CCBB!

O CCBB fica na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

Festa SOPA e Virada Cultural no CCBB

Ainda não tem programa para a noite de sábado? Pois a festa SOPA promete animar a noite cultural carioca, com um setlist das melhores músicas do mundo e daquelas que você nem lembrava que gostava.

Além disso, a parceria com o CCBB promove a virada cultural do Museu. Ou seja, portas abertas a madrugada toda, para quem quiser conferir a exposição do Dali. E, do lado de fora, o som da SOPA até de manhã.

O preço dessa brincadeira? Um sorriso, porque é tudo de graça! 🙂

O evento rola a partir das 23h, no estacionamento do CCBB: Av. Primeiro de Março, 66 – Centro.

Curso gratuito sobre Salvador Dalí

O CCBB está com uma grande exposição sobre Salvador Dalí. E, em parceria com o Instituto Cervantes, as duas instituições promoverão o curso gratuitoSalvador Dalí: do gênio e performer ao especialista comercial“.

Serão cinco encontros, de 14 a 18 de julho, que abordarão toda a formação de Dalí, desde a Catalunha natal, passando por Madri até Paris; o contato com a vanguarda artística e sua relação com o surrealismo;  seu segredo criador com o método paranóico-crítico; sua relação estética com outros artistas como Giorgio de Chirico, Joan Miró, René Magritte e seu impacto em pintores como Óscar Domínguez, Remedios Varo e Frida Kahlo, sem deixar de lado sua aventura nos Estados Unidos, que fizeram deste gênio um autêntico especialista comercial que soube aproveitar o poder da publicidade e da moda.

São 80 vagas e as inscrições já podem ser feitas no email adx1rio@cervantes.es.
Outras nformações pelo telefone  21 3554-5913.

As aulas acontecem de 14 a 18 de julho de 2014, de 18h30 às 20h30, no CCBB: Rua 1º de Março, 66 – Centro

dali02