Um café com clima de fazenda no Cosme Velho

Pensa num lugar cheio de verde e calma, um lugar para se comer e ouvir os sons dos pássaros. Agora adiciona ingredientes orgânicos e clima de fazenda, sem sair da cidade.

Voilà!

da_cozinha_cafe02

Você pode estar no Da Cozinha Café, o restaurante que fica nos fundos do Museu de Arte Naïf (que infelizmente está fechado desde o ano passado), no Cosme Velho.

Há opções de bolos e pães (servidos a quilo) ou os itens da cardápio (saladas, omeletes, quiches, lasanha de berinjela, açaí e muitos tipos de sucos). Para quem não conhece, fica perto da estação do Bondinho ou quase na frente da Igreja São Judas Tadeu.

 

 

É uma das opções deste bairro, que apesar de não dispor de muitos restaurantes, é verdade, esbanja verde e história.

Para quem curte, é prato cheio!

Texto e fotos: Cinthia Saito 

– –
Da Cozinha Café
Onde: Museu Internacional de Arte Naïf do Brasil – R. Cosme Velho, 561 – Cosme Velho
Quando: Aberto de terça a sexta, das 10h às 18h. Sábado e domingo, das 9h às 17h.

Anúncios

Comida, cultura e dignidade: como funciona o Refettorio Gastromotiva

Nesta segunda-feira (5/12) comemora-se o Dia Internacional do Voluntariado. A data simboliza a dedicação de milhões de pessoas que, diariamente, doam um pouquinho (ou um montão) do seu tempo às causas sociais, pela vontade de ajudar e tornar o mundo um lugar mais amigável para todos. Para comemorar a data, começo meu projeto pessoal de apresentar iniciativas bacanas que estão acontecendo pela cidade e que são feitas com voluntários! Cheguem mais, abram corações e mentes e descubra como é bom ser do bem! 😉

Um das iniciativas mais legais que a cidade do Rio recebeu neste ano foi o Refettorio Gastromotiva. A ideia do restaurante é simples e incrível: fornecer um jantar gratuito e de qualidade para quem não poderia pagar por isso. Já falamos sobre o projeto na época da abertura, leia aqui.

Consigo ler daqui as perguntas que estão passando pela sua cabeça, e trago a resposta para todas elas:

Da onde vem a comida?
Tudo é feito com alimentos que seriam descartados por supermercados e restaurantes.

Quem come?
O jantar é oferecido, de segunda a sexta, para cerca de 70 pessoas em vulnerabilidade social, que são acolhidas por entidades parceiras, como a Secretaria de Assistência Social, abrigos municipais e o coletivo Casa Nem, por exemplo.

Quem cozinha?
Chefs dos melhores restaurantes da cidade, que levam sua equipe, montam um cardápio e cozinham de graça. Além deles, há uma equipe fixa no local, que faz toda a logística para dar tudo certo, diariamente.

img_9096
Na noite que participei, a cozinha foi comandada pelo chef Emiliano Sabino, do Hotel Hilton./Fotos: Refettorio Gastronomia e Rio de Graça

Quem serve os convidados?
Qualquer pessoa que quiser se voluntariar, no caso, nós!

Onde funciona?
O Refettorio fica na Lapa, num espaço cedido pela prefeitura que se transformou em um galpão com restaurante, cozinha profissional, escritório e espaço para eventos.

img_9055
Lindo, né?

E como o local se sustenta? 
A parceria e apoio de empresas, além de doações e trabalho voluntário de muita gente legal.

Tudo começou com o inovador David Hertz, criador da Ong Gastromotiva, dedicada à capacitação de jovens em vulnerabilidade para trabalhar em restaurantes. David, que é chef de cozinha, trouxe para o Rio conceito do Refettorio Ambrosiano, criado pela ONG Food for Soul, de Massimo Bottura, o aclamado chef italiano, considerado o melhor do mundo!

A partir de muitas parcerias, a versão brasileira do Refettorio ficou pronta durante as Olimpíadas, e chamou a atenção de todo o mundo. Cozinharam no local chefs como Alex Atala, Alain Ducasse, Claude Troisgros e Roberta Sudbrack. Mesmo depois dos Jogos, o local continuou a receber apoio de muita legal, que se voluntaria para trabalhar cozinhando e servindo as dezenas de convidados que passam por lá diariamente.

E eu fui uma dessas pessoas! 🙂

Já achava o projeto lindo e queria muito conhecer de perto como tudo estava funcionando depois das Olimpíadas. E o trabalho está incrível!

Para começo de conversa, a Gisele, assistente social responsável pela área dos voluntários, é uma pessoa sensacional (agradeço a paciência dela e da Mari em responder as dezenas perguntas que fiz! ❤ Sabem como é jornalista, né…). Mesmo quem não tem experiência com cozinha pode participar! Eu e mais cinco voluntários fomos recebidas poe ela, que nos explicou t-u-d-o sobre o projeto e sobre o trabalho que iríamos realizar.

Nossa missão: servir os 70 convidados da noite: entrada + prato + principal + sobremesa (veja nas fotos que lindeza de pratos!) . O cardápio foi criado pelo Emiliano Sabino, chef executivo do hotel Hilton, da Barra da Tijuca. Os convidados da vez eram jovens e adultos em situação de rua.

Aprendemos rapidamente a dinâmica de entrada e saída das refeições, tiramos dúvidas, ficamos com um friozinho na barriga e fomos para os nossos postos de trabalho. O processo do jantar dura cerca de uma hora e é incrível. Acho o ato de cozinhar para alguém uma espécie de entrega e doação. E participar deste momento, servindo um bom jantar para quem, tantas vezes, é invisível para a sociedade, é uma experiência única e transformadora. Ao final do jantar, voluntários e equipe podem jantar e conversar sobre suas experiências. ❤

Às vezes a gente sonha em mudar o mundo e esquece o poder transformador das pequenas ações. Tratar bem quem está perto de nós, enxergar o próximo como cidadão e ceder um pouco da gente para ajudá-lo, seja como for. O trabalho voluntário nos mostra que é possível ajudar além da doação de dinheiro. A doação do tempo muitas vezes é mais importante, já que empresas, por exemplo, podem contribuir financeiramente, mas o esforço e a dedicação de quem se compromete a passar um tempo ajudando não tem preço. (No final do jantar, o chef Emiliano ganhou um desenho feito por um dos convidados! <3) 

O Refettorio Gastromotiva já é uma iniciativa linda e transformadora, e promete inovar no próximo ano, abrindo seu restaurante ao público na hora do almoço, com o esquema “pague o almoço e doa a janta”, em que cada refeição servida paga o janta que será doada no fim do dia. Abaixo, alguns dos recados que os convidados deixaram nas mesas durante a refeição.

Gostou desta iniciativa e gostaria de se voluntariar? Envie um email para a Gisele: voluntarios@gastromotiva.org

Para conhecer mais sobre o projeto, acesse: www.refettoriogastromotiva.org

 

 

Refugiadas ensinam pratos típicos de seus países em aulas temáticas de culinária

Já pensou em aprender um prato típico da culinária venezuelana com alguém do próprio país? Ou o Moin Moin, bolinho típico da Nigéria? Pois essa é a ideia do projeto “Mistura Gastronômica”, produzido pelo Abraço Cultural e Refoodgees.

A próxima edição acontece neste sábado (3/12), em São Conrado, e terá dois pacotes: gastronomia nigeriana/colombiana ou gastronomia venezuelana/libanesa. Cada aula apresentará o modo de preparo dos pratos típicos e, ao final do encontro, degustação das delícias feitas!

O objetivo do encontro é apresentar a a cultura dos países pelo paladar, a partir das experiências das refugiadas, além de empoderá-las. Os workshops custam R$44 e a renda será destinada às participantes do projeto.

Mais informações inscrições na página do evento.

atados02
O curso agora está mais barato: R$44!

 

– –
Mistura Gastronômica – Workshop com refugiados
Quando: 3/12
Onde: Av. Aquarela do Bradil, 601 – São Conrado
Quanto: R$ 44 – a renda será destinada às refugiadas participantes do projeto

 

Biblioteca da Casa Europa: um cantinho cheio de charme e cultura no Centro do Rio

Interessado(a) na cultura francesa ou simplesmente buscando um espaço aconchegante e silencioso para escapar do caos do Centro da Cidade Maravilhosa? \o/ \o/ \o/ 
Uma ótima dica é a biblioteca da Casa Europa (deixou de ser Maison de France quando passou a ser sede dos consulados gerais da Alemanha e França), que conta com um acervo incrível (são mais de 25.000 documentos físicos, entre livros, periódicos, DVDs e CDs). As revistas vão da ciência à moda, com assuntos super atuais. A estante recheada de publicações é de encher os olhos de qualquer leitor ávido! 
casa_europa01
Pelos computadores e tablets da casa, você pode acessar bases de dados eletrônicas como Europresse (revistas e jornais com Le Monde, Libération, Lire, L’Express), L’Harmathèque (eBooks da editora L’Harmattan), Izneo (histórias em quadrinhos). A biblioteca é aberta a todos e ainda disponibiliza o catálogo online no site
Não deixe de aproveitar também o Cine Maison e o Teatro Maison de France, sempre com uma ótima peça em cartaz!

Arquitetura, decoração, gastronomia e happy hour

casa_europa03


Vale também a visita pela arquitetura e decoração, que são um capítulo (e um charme!) à parte, impecáveis e fazem a gente se sentir em casa. Televisões, mesas de leitura, pufes e sofás compõem o espaço com muito conforto e beleza, bem ao estilo francês. Há salas para reuniões e trabalhos em grupo.


Na área externa do terraço, ficam as mesas do Café Maison (com cardápio assinado pelo chef David Jobert, do L’Atelier du Cuisinier), que oferece uma vista linda para o Aterro do Flamengo, a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar! O local é mais uma opção para fazer happy hour no Centro. No menu, além dos chás e cafés, o visitante pode escolher bebidas como champanhe e vinho.
casa_europa04

Agenda: a programação conta com lançamentos de livros, conferências, debates, exposições e seminários. Você pode acompanhar e se programar pelo Facebook  A Maison – Espaço Cultural Do Consulado da França no Rio e Biblio Maison

Voilà
!

Um excelente passeio para você!

Texto e fotos: Cinthia Saito

Para aproveitar melhor o passeio, a gente sempre sugere deixar o carro em casa. A Cabify é uma empresa de tecnologia que conecta quem quer se movimentar pela cidade com estilo e segurança a um motorista particular que te leva a qualquer lugar!

Baixe o app (para iOS e Android) e com o voucher “RIODEGRACA“, você ganha a primeira corrida gratuita de até R$20! Leia aqui como foi nossa experiência com a Cabify.

– –
Casa Europa
Onde: Avenida Antonio Carlos, 58, 11º andar – Centro.
Quando: segundas, quartas, quintas e sextas das 11h às 18h (às quartas, costuma funcionar até 19h). Fecha às terças e domingos e abre sábado sim e sábado não.
Quanto: Entrada franca
Tel: (21) 3974-6660

Fim de semana com workshops de harmonização de vinhos e de cervejas artesanais na Tijuca

Que tal um fim de semana para aprender mais sobre harmonização de vinhos e cervejas com pratos deliciosos? O Shopping Tijuca vai promover, neste final de semana, três workshops gratuitos sobre o tema.

A abertura oficial do “Temporada Gourmet” acontece neste sábado (8/10), às 19h, e contará com a participação do Sommelier do restaurante que já virou um queridinho dos cariocas, L’Entrecôte de Paris (aquele das batatas fritas infinitas!). O profissional fará uma breve apresentação sobre os tradicionais tipos de vinho à venda no mercado e a melhor maneira de harmonizá-los com o ponto da carne.

fabio-nascimento_sommelier-de-cervejas
Loja da Mestre Cervejeiro.com/Fotos: Divulgação

Já no domingo (9/10), a programação começa às 16h, com a apresentação do workshop Sushi em Casa, com o chef da rede de restaurante japonês Pe’ahi. Às 18h, o sommelier de cervejas artesanais da rede Mestre Cervejeiro.com, Fábio Nascimento, promoverá degustação de rótulos da Brüder, Pilsen e sua versão de trigo.

– –
Workshops Temporada Gourmet
Onde: Shopping Tijuca fica na Av. Maracanã, 987 – Tijuca
Quando: 8/10, às 19h e 9/10 às 16h e 18h
Quanto: Gratuito, com senhas distribuídas 2h antes de cada evento

Como fazer uma chá de lingerie em casa gastando pouco – e se divertindo muito!

Cheguei naquela fase da vida em que a maioria das minhas amigas ficando noivas, casando, tendo filhos, então a cada fim de semana, uma programação social dessas acontece: jantar de noivado, chá de lingerie, chá de fralda, casamento… Falando assim, parece que são eventos chatos, mas hoje em dia temos muitas opções para deixar esses eventos super divertidos, mesmo em casa!

Para mostrar que isso é possível, tivemos a missão de organizar o chá de lingerie da Tati, uma amiga querida! Queríamos algo bem pessoal, só com amigas, para deixar o clima aconchegante e divertido, afinal, esse é o último evento da noiva ainda solteira, precisa ser especial!

Festas em salões, bares e restaurantes sempre acabam saindo mais caro que esperamos, né? Mas organizar uma festa em casa está a cada dia mais fácil, já que muitas pessoas estão investindo em pequenos negócios culinários e de eventos. Assim, dá para terceirizar muitos serviços sem perder a qualidade da festa fora e a intimidade de um evento em casa.

Durante os preparativos, encontramos ótimos fornecedores, que deixaram a festa super profissional, para casa de festas nenhuma botar defeito! Queríamos valorizar as marcas cariocas, que já conhecíamos de eventos pela cidade e o resultado foi ótimo!

Compartilho com vocês todas as dicas que deixaram este dia divertido e inesquecível. Confira!

Decoração
Saara, a meca da decoração barata! Ainda não inventaram nada mais prático e com melhor custo-benefício que ir ao Saara garimpar enfeites bacanas para qualquer tipo de evento. Para o chá, que estava definido com as cores vermelho e branco, usamos balões em formato de coração, letras em vermelho para escrever “Chá da Tati” na parede, balinhas de coração para enfeitar e dar como lembrança. A toalha usamos uma que já tínhamos, mas dá para comprar metros de tecido bem baratos por lá. As melhores lojas, onde você vai encontrar praticamente tudo em um só lugar, são a Caçula e a Aidan (ambas possuem outros endereços pela cidade, mas as do Centro são as mais completas.

Comidas e bebidas
Já passamos da fase do “bolo e guaraná”, né? E com o boom de empreendedores gastronômicos na cidade, o que não falta é opção original para compor o cardápio de um evento em casa. Optamos por ter alguns frios, pães e biscoitinhos ao invés do tradicional salgadinho. Para incrementar, as delícias do Empório Império.

Eles produzem chutney de banana e manga, geleia de pimenta (a melhor que já comi!), relish de pepino e uma conserva de jiló deliciosa, o Jiló do João. Os produtos são muito gostosos e sem esses conservantes de nomes que não sabemos falar rsrs. O melhor é que eles já explicam que produto combina com cada alimento, assim dá para montar uma mesa variada para todos os gostos.

Outra aposta que fez o maior sucesso foram as pipocas gourmet. Escolhemos as da Belle Pop, nos sabores churros, caramelo com for de sal e limão siciliano com pimenta. Todas aprovadas! Mesmo no pote elas têm gosto de fresquinhas, não ficam murchas, e vêm em lindas embalagens individuais, então servem também como uma lembrancinha. Dá vontade de guardar o potinho!

Bolo e docinhos não podem faltar! Aproveitamos uma amiga boa de fogão para fazer o bolo principal, uma cheesecake de morango. A calda vermelha combinou perfeitamente com a decoração. Aí sempre bate a dúvida: será que todos os convidados gostam do meu tipo de torta?

Pois agora a dúvida não bate mais. Trocamos o bolo tradicional por diferentes opções de bolo no pote, da Um Doce de Mãe. Tinha bombom, prestígio, nozes, churros… impossível não ter o sabor preferido de alguém. O preço é ótimo e vale a pena fazer essa troca: ganhamos em variedade e sabor. Sem contar que no pote faz menos sujeira e ainda dá para levar para casa.

E, para terminar a orgia gastronômica, docinhos! Daqueles impossíveis de comer só um, tinha que ser da Deli Brigaderia Gourmet. Os doces das meninas são sensacionais, quase rolou briga para decidir quem comeria os últimos (ficou para noiva, claro!rs).

Mimos para as convidadas
Se estamos celebrando, nada melhor que o “bem celebrado”! É a repaginada do “bem casado”, que agora se reinventou e aparece para diferentes tipos de celebrações: nascimento, batizado, aniversário e, porque não, chá de lingerie! Os nossos foram da Maria faz Doce, marca que conheço e adoro. Os sabores que já provei deles foram o pão de mel, doce de leite e amendoim, todos deliciosos. Além do sabor, eles fazem embalagens personalizadas. No nosso caso, enviamos o modelo da arte que criamos e eles ajustaram perfeitamente.

E que tal dar uma apimentada no evento? Esse é um ponto que sempre causa polêmica em chá de lingerie de amigas. Algumas querem algo bem ousado, outras não gostam de nada apimentado. Parece que encontramos o meio termo ideal! Entramos em contato com o sex shop The L Vibe, voltado para o público feminino (lésbico e hétero). Como o atendimento também é feito por mulheres, ficamos super à vontade para conversar sobre o que poderíamos fazer. Escolhemos um produto mais apimentado para fazer um sorteio entre todas as amigas e tivemos vários óleos corporais como brinde para as brincadeiras. Ah, o sex shop também tem um serviço de ir ao local do evento, gratuitamente, para mostrar seu produtos e fazer umas brincadeiras (nada de mico, são ações legais!).

Brincadeiras
A festa tá boa, comida e bebidas no ponto. Então vamos às brincadeiras! O essencial aqui é ter noção!rs Não adianta querer fazer brincadeiras que pintem o rosto, por exemplo, se a noiva não curte, ou fazer ela falar sobre ex namorados na frente da sogra. Seja legal com a sua amiga! Algumas sugestões de brincadeira “do bem”:
Adivinhando a lingerie: a noiva, de olhos vendados, deve adivinhar quem deu a peça, a cor e o modelo. para cada erro, uma prenda (que pode ser um shot de bebida, uma dança ou contar alguma coisa do relacionamento). E as convidadas que a noiva não acertar o presente ganham mimos;
Telefonema sedutor: após abrir os presentes, a noiva liga para o noivo e fala sobre o que ganhou, como gostaria de usar… NO VIVA VOZ! Ele não pode saber que está sendo ouvido por todas.
Quiz do amor: monte uma lista de perguntas e envie antecipadamente para o noivo (sem a noiva saber). Pergunte coisa do tipo: onde se conheceram, como ela estava vestida, música preferida, lugar mais inusitado que fizeram sexo, viagem dos sonhos… As mesmas perguntas serão feitas na hora para noiva. A cada resposta errada, uma prenda.

Todos os fornecedores foram contactados pelo Instagram! Viva a praticidade e a modernidade! E, se a gente indica, é porque foram testados e aprovados por um público muito exigente: a gente! 😀

Dúvidas e sugestões de comidinhas, decor e brincadeiras? Deixem nos comentários que a gente vai ampliando o post. 😉

Fazer o bem pode ser delicioso!

Era uma vez a Tati. Há um ano e meio ela ficou desempregada e ela resolveu investir num próprio – e delicioso – negócio: pão de queijo. Assim, a Tati e seu noivo, munidos de uma bicicleta, criaram a Nóh! Pão de Queijo. A ideia de ter um meio de transporte leve, sustentável e que também sirva como expositor faz da bicicleta uma ótima alternativa para quem está se aventurando pelo mundo da gastronomia de rua.

noh_pao_de_queijo01
A simpática bikefood da Nóh!/Fotos: Divulgação

 

A Nóh! vem participando de vários eventos pela cidade, levando o legítimo pão de queijo mineiro a shoppings, faculdades, universidades, festivais culturais, gastronômicos, aniversários e conquistando muitos paladares.

Porém, no dia 26/8, após um desses eventos, a bicicleta da Nóh! foi furtada, o que impactou diretamente no negócio da micro empresa. Porém, na vida empreendedora é assim: se ganhamos limões, fazemos caipirinhas! 🙂

E a Tati criou um crowdfunding delicioso para reunir a grana necessária para a compra da bikefood. Clique aqui para acessar a página do financiamento e as recompensas, que inclui receber todos os sabores do pão de queijo (tradicional, calabresa, tomate seco e bacon).

noh_pao_de_queijo03

Depois de algumas polêmicas envolvendo financiamento coletivo de empresários com dinheiro, nada como uma boa história, de empreendedores reais, com objetivos justos, para fazer a gente voltar a investir neste tipo de “vaquinha”.

Ajudar faz bem pro coração e pode ser delicioso!
Quer falar com a Nóh! Pão de queijo? Escreva para nohpaodequeijo@gmail.com

noh_pao_de_queijo02

Começou o Rio Restaurant Week! Os melhores restaurantes da cidade com preços fixos promocionais

Chegou a hora de comer bem sem ter medo de olhar a conta no final da refeição! \0/ Começou nesta segunda-feira 15ª edição do Restaurant Week na cidade, reunindo grandes restaurantes cariocas com um preço fixo, e mais acessível, no cardápio.

rio-restaurant-week_01
Atenção: post com fotos de dar água na boca!

O almoço custa R$ 44,90 e o jantar R$ 54,90 (preços por pessoa), e incluem uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Cada estabelecimento oferece duas opções de cada item e R$ 1 é doado para instituições sociais.

Para a galera que procura um menu ainda mais especial, nesta edição há também opções mais elaboradas, com preços de R$ 54,90 para almoço e R$ 68,90 para jantar, no menu Restaurant Week Plus.

Participam restaurantes do Centro, Zona Sul e Barra. Veja a lista completa dos estabelecimentos participantes, cardápios, endereços e reservas aqui.

– –
Rio Restaurant Week
Onde: restaurantes do Centro, Copacabana, Ipanema, Leblon e Barra da Tijuca
Quando: 19/9 a 9/10
Quanto: almoço R$ 44,90/ jantar R$ 54,90 (entrada + prato principal + sobremesa). Há opção de menu mais elaborado por R$ 54,90 para almoço e R$ 68,90 jantar.

 

 

6 dicas essenciais para virar um mestre cervejeiro

Já reparou a profusão de novos rótulos de cervejas artesanais que encontramos nos bares, feiras de gastronomia e mercados? O carioca não quer mais uma cerveja gelada para tomar depois do expediente… ele quer “a cerveja”!

Conversamos com o João Taveira, sócio da Mateka, marca carioca de cervejas artesanais. Desde o primeiro experimento até hoje, são dois anos de ralação, estudos e força de vontade para colocar o produto no mercado.

cerveja_mateka01
A cerveja Mateka, do João

Se você tem o sonho de criar a sua própria marca de cerveja artesanal, confira as dicas que pegamos com o João:

1 – Estude, estude, estude

Se você gosta de alguma coisa, você é um fã. Agora, para ser uma referência, entender bem do assunto, é preciso estudar, e muito. O João começou a se interessar pelo mundo das cervejas artesanais em 2014, no começo do boom das marcas por aqui. E estuda até hoje: “Combinei de fazer um curso com um amigo que também pesquisava sobre o assunto, mas já havíamos estudado tanto que a aula passou a ser quase que um momento para tirar dúvida”.

2 –  Descubra seu diferencial

Neste momento, você e outras centenas de pessoas pensam em produzir sua própria cerveja. Como não ser mais um na multidão? “Temos que estar sempre pensando a frente. Atualmente temos dois rótulos e estamos testando algumas receitas para lançar um terceiro. Também estamos finalizando todo o processo de legalização e produção em maior escala das nossas cervejas, para fornecer em bares e lojas especializadas”, conta João. Ou seja, com um mercado em expansão, não dá para ficar parado!

3 – Tenha certeza da qualidade do seu produto

Faça testes, mostre para amigos, familiares, ouça a avaliação de todos. Não adianta criar um sabor muito diferente se ele não vai ter aceitação do público: “O que mais vemos são pessoas que adoram beber a cerveja, mas não se preocupam com o lado da produção. Imaginam que é só juntar os ingredientes que a cerveja ficará boa. Não é bem assim: fazer cerveja não é um bicho de sete cabeças, mas é preciso ter interesse em estudar os novos rótulos e buscar sempre se destacar de alguma forma”.

4 – Registre sua marca

Você cria um nome, divulga para seus amigos e familiares, tudo vai indo bem. Mas na hora de registrar sua marca, alguém já usou o nome. E agora? Com a Mateka foi assim. Até surgir o nome atual, a dupla usava outro. Na hora de registrar a marca junto ao INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), já existia uma cooperativa de leite no Paraná com o mesmo nome. Tiveram que parar, repensar o conceito e criar um novo título. Ou seja, trabalho redobrado para se recolocar no mercado. Então, se você já decidiu seu nome, registre-o antes que alguém tenha a mesma ideia.

5 – Seja reconhecido

cerveja_mateka_na_ufrj
Stand da Mateka em um evento de gastronomia na UFRJ

Aproveite o grande momento das cervejas artesanais e faça com que sua marca seja reconhecida. Participe de feiras, degustações, invista em publicidade digital. “Estamos numa transição para começar a oferecer as cervejas também em chopp e levarmos para os diferentes eventos cervejeiros. No fim, apresentar os filhos para o mundo!”, explica João. Descubra onde está o seu público e invista para que eles queiram beber a sua cerveja!

6 – Não desista

Ser empreendedor, independente da área, é duro, exige muito trabalho e muita perseverança. No mundo das cervejas não é diferente: a burocracia é o maior empecilho para quem quer seguir no ramo. “Imagino que a tendência seja melhorarmos cada vez mais nesse aspecto e seguir o que já ocorre na Europa e EUA. Existem movimentos por aqui para mudar este cenário”.

Extra!  7 – Legalize já!

Após a publicação deste texto, recebemos um feedback muito bom do cervejeiro Fabio Anselmo, nos explicando a importância da legalização das cervejas para sua comercialização. É preciso um registro no Ministério da Agricultura. Trabalhosos, mas necessário. Quer saber mais? Veja neste material: aspectos-legais-para-registro-de-cervejaria

– –

As cervejas da Mateka custam R$15 e podem ser compradas na página da marca.
Eles entregam na Zona Sul, Barra e adjacências, Tijuca e adjacências e Niterói.
Quer conhecer mais sobre eles e tirar dúvidas sobre o mundo cervejeiro? Mande uma mensagem pro João e o Gabriel no Facebook da Mateka!

Festival de rua leva jazz, blues, rock e foodtrucks para praça no Centro

O Festival Passeio Público tem uma premissa das boas: ocupar espaços públicos do Rio com muita música e comida de qualidade! A ideia é promover essa ocupação urbana, trazendo festivais multiculturais para as praças e parques da cidade.

E o evento já tem datas marcadas. A VII edição está rolando agora (8 e 9/9) e a VIII edição será nos dias 22 e 23/9. São quatro shows por dia e cerca de 20 expositores de comidas e bebidas. Dá para passar na hora do almoço e também fazer um happy hour!

festival-passeio-publico
Foto: Facebook Festival Passeio Público

 

Ah, e a entrada é gratuita, claro! 😉

– –
Festival Passeio Público
Onde: Passeio Público – Cinelândia
Quando: dias 8 e 9/9 (VII edição) e 22 e 23/9 (VIII edição), das 12h às 21h.
Quanto: entrada gratuita

#Rio2016 Feira gastronômica agita Boulevard Olímpico no fim de semana

Os Jogos Paralímpicos só começam no próximo dia 7/9, mas o Boulevard Olímpico, point da Rio 2016, continua a todo o vapor! Além das atrações que estão funcionando por lá, o local vai receber a feira Carioquíssima Gourmet neste fim de semana (2 e 3 e 4/9).

14067813_535904553262428_4354666335372215751_o
Edição da Carioquíssima durante os Jogos Olímpicos/Foto: Facebook Carioquíssima

Esta será a quarta edição do evento contará com mais de 60 expositores, levando para cariocas e turistas o melhor da gastronomia de rua da cidade.

Animando o evento, além dos expositores, haverá djs em todos os dias.

Para aproveitar melhor o evento, a gente sempre sugere deixar o carro em casa. A Cabify é uma empresa de tecnologia que conecta quem quer se movimentar pela cidade com estilo e segurança a um motorista particular que te leva a qualquer lugar!

Baixe o app (para iOS e Android) e com o voucher “RIODEGRACA”, você ganha a primeira corrida gratuita de até R$20! Leia aqui como foi nossa experiência com a Cabify.


Carioquíssima Gourmet
Onde: Boulevard Olímpico – Praça Mauá
Quando: sexta, sábado e domingo, 2 e 3 e 4/9, das 12h às 20h
Quanto: entrada gratuita, comidas e bebidas pagas à parte

#Rio2016 Junta Local traz para o Rio culinária de todo o mundo

Aproveitando o clima olímpico e o tanto de gente que está pela cidade, a próxima edição da Junta Local vai celebrar as muitas tradições culinárias do mundo e a bandeira da comida local como um movimento que une todos em torno da mesa.

junta_local04

São quatro dias de evento (18, 19, 20 e 21/8) na Casa da Glória, com a presença de marcas cariocas, de outros estados e internacionais, além de programação para crianças e uma gostosa seleção musical.

Veja aqui as marcas e produtos que estarão expostos nesta edição.

junta_local01

Fotos: Divulgação/Samuel Antonini

– – –
Junta Local
Quando: 18, 19, 20 e 21/8, das 11h às 21h (dia 21 das 13h às 21h)
Onde: Ladeira da Glória, 98 – Glória
Quanto: Entrada gratuita

Mansão em Santa Teresa cria vivência tipicamente carioca para turistas (e para um sortudo que seguir o Rio de Graça!)

Workshop de caipirinha, aula de percussão, samba e capoeira são algumas das atrações do The Mansion Sem Fronteiras, projeto que acontece no super casarão em Santa Teresa durante os Jogos Olímpicos.

DCIM103GOPRO
Cenário dos sonhos!

A mansão, que é cenário de grandes eventos, estará aberta todos os dias no período de 5 a 21/8, a partir das 10h. O local conta com amplo espaço, ambientes clássicos ornados por obras de arte moderna, cercado pela fauna e flora nativa da Mata Atlântica e pelas exuberantes vistas da Baía de Guanabara, Pão de Açúcar e Cristo Redentor. Visão de cartão-postal!

A programação conta ainda com opções de atividades e degustação de pratos típicos brasileiros, assinados pela chef Mariana Vidal, que preparou um menu especial inspirado no seu livro “Saboreando o Rio”. Dentre as delícias do menu estão o baião de dois (adoro!!) e a moqueca de peixe.

O local também contará com o pop bar importado de Nova York, o Mulberry Project, que oferece drinques exclusivos com sotaque americano e adaptados com insumos locais.

The_Mansion_01

Já pensou fazer parte deste evento exclusivo? Então corra lá na nossa página no Facebook, vamos sortear um almoço + drink do Mulberry Project! O sorteio acontece na segunda. Veja aqui como participar.

Demais, né?
A entrada é gratuita e o bar e as atividades são pagas à parte.

Almoço Buffet / Feijoada: R$120,00 com 1 welcome drink
Jantar Menu Degustação: R$250,00 com 1 welcome drink
Pacote de bebidas (água, refrigerante, cerveja nacional, caipirinha): R$120,00
Pacote de Atividades por pessoa: R$500,00
O bar também é aberto para consumo avulso.

As reservas podem ser feitas no telefone (21) 99776-0477 ou no email eventos@themansionrio.com

A The Mansion fica na Rua Julio Otoni, 444 – Santa Teresa.

 

 

#Rio2016 O melhor chef do mundo vem ao Rio cozinhar para pessoas carentes

Mais uma ótima iniciativa que chega como legado dessas Olimpíadas: Massimo Bottura, eleito melhor chef de cozinha do mundo, vem aos Jogos com seu projeto social de cozinhar para pessoas carentes!

O chef italiano, junto com a Ong Gastromotiva, traz para a cidade o ReffetoRio Gastromotiva, um restaurante em que as sobras de ingredientes da Vila Olímpica (que iriam para o lixo) são usadas para alimentar pessoas em situação de vulnerabilidade social. Dentre os chefs já confirmados para cozinhar no local durante os Jogos, Alex Atala, Alain Ducasse, Claude Troisgros e Roberta Sudbrack. U-A-U!

massimo_botura
Massimo Bottura, o chef que é o máximo!

Serão mais de 100 refeições diárias, para pessoas previamente cadastradas.Até o final dos Jogos, terão sido servidas mais de cinco mil refeições a partir de alimentos que seriam jogados fora.

O lugar vai ser operado como o Reffetorio Ambrosiano, instalado no subúrbio de Milão durante a Expo Milano em 2015, criado pela ONG Food for Soul, de Massimo Bottura. A ideia de repetir a experiência no Brasil, durante os Jogos Olímpicos, foi do chef David Hertz, que comanda a Gastromotiva (veja mais sobre a incrível iniciativa aqui), dedicada à capacitação de jovens carentes para trabalhar em restaurantes.

Após os Jogos, o restaurante passa ao comando de chefs e equipes de salão formados pela Gastromotiva e vai funcionar no formado “pague o almoço e deixe o jantar”: no almoço, abre ao público, que paga pela refeição. À noite, fica reservado às pessoas carentes e será gratuito. Ou seja, o cliente pagante ajuda a subsidiar o jantar de pessoas carentes.

refettorio-gastromotiva-sopacultural
Coletiva de imprensa que rolou ontem para anunciar o projeto. Foto: Site Sopa Cultural

O espaço funcionará também como um restaurante-escola, com aulas, oficinas e workshops para formação de profissionais de gastronomia.

Massimo Bottura, a frente da sua Osteria Francescana, ganhou o título de melhor chef do mundo pela importante revista britânica Restaurant. (Nota da editora: quem quiser conhecer mais sobre ele, o Netflix tem uma série de gastronomia chamada Chef’s Table. O primeiro episódio da primeira temporada é sobre Bottura. Vi, amei e tracei como meta de vida jantar na Osteria!)

O RefettoRio Gastromotiva inaugura na próxima terça-feira (9/8) na Rua da lapa, 108 – Lapa.

Gastronomia da boa, e do bem!

Com informações do Paladar, do Estadão. 😉

Simpatia baiana em Botafogo

A miss simpatia baiana Ana mandou avisar que o acarajé é R$12, mas comprando mais de um sai por R$10!

E tem versão vegana também. Ela fica na praça da Rua Nelson Mandela, ao lado da Upa, de segunda a sexta, das 16h às 21h (às vezes um cadim mais tarde).


O acarajé mais feliz do Rio! 😋