Atrizes em cena inovam texto consagrado de Plínio Marcos em Ipanema

Duas perdidas se encontram em corpo e palavra no Laura Alvim

Por Aline Miranda

Fomos conferir a estreia da peça “Dois perdidos numa noite suja”, realização da Cia Plúmbea, no Espaço Rogério Cardoso, na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema. O texto é conhecido por parte do público pela versão cinematográfica premiada de José Joffily, com Débora Falabella e Roberto Bomtempo como protagonistas. No filme, o personagem Paco é uma mulher, mas no texto original a dupla é de homens e, nesse espetáculo, interpretada por duas atrizes. E, mais que isso, elas se revezam nos papéis!

De maneira criativa e afinadíssimas para uma estreia, Ana Cecilia Reis e Caju Bezerra trocam de personagens como quem troca de sapatos. Esse objeto de cena é o mote da relação entre Tonho e Paco, e também da relação entre as atrizes. Como elas se revezam tão fluidamente nos papéis, não se pode associar a nenhuma delas uma interpretação maior de algum dos personagens. Esse é o ponto alto do espetáculo e merece boa plateia por isso. Como elas realizam tal feito? A melhor forma é comprovar assistindo 😉

1. Dois Perdidos Numa Noite Suja - Cia Plúmbea - crédito_Rodrigo Menezes (a)
Foto: Divulgação

A linguagem corporal é outra característica marcante na montagem desse grupo de alunas da Unirio. O gestual é presente a todo momento e compõe instantes interessantes entre os personagens depois que nos habituamos a essa linguagem. Possivelmente, o movimento físico é o que leva um pouco de suavidade a esse texto tão denso. As músicas que tocam no radinho do quarto escuro e úmido da dupla também provocam momentos de suspensão do duro cotidiano dos personagens.

O espaço é ambientado de maneira com que entremos neste universo onde dormem os personagens, como expectadorxs presentes, incomodados com o barulho, as brigas, a fumaça. É difícil rir das brincadeiras e provocações muitas vezes humilhantes entre a dupla criada por Plínio Marcos. Mas houve quem, no público, desse risada. A vida “real” é dura e, por isso, ver em cena situações de sarcasmo, deboche e violência pode ser duro. Mas as estratégias de atuação são inteligentes e sutis. Não há nada explícito como se vê em telejornais, filmes e até (muitas) séries e novelas. Há violência cotidiana, sim. Mas não é preciso ter arma e agressões físicas em cena para mostrar isso. Para tal, artifícios cênicos.

O programa do espetáculo é também inovador, apresentado criativamente como parte do jornal impresso “A Noite”, datando 25 de março de 1972. O texto – que também já foi ao cinema interpretado por Emiliano Queiroz e Nelson Xavier – está em cartaz na aconchegante e inspiradora Casa de Cultura Laura Alvim, que por si só já valeria a visita.

Pestigie a cultura carioca e aproveite a brisa beira-mar após o espetáculo. É preciso ventilar as ideias e suspirar com arte em tempos sombrios.

 

– – –

Teatro – Dois Perdidos Numa Noite Suja
Onde: Casa de Cultural Laura Alvim – Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema (próximo à estação General Osório do metrô)
Quando: Terças e Quartas (até 20/12), às 20h
Quanto: R$30 inteira / R$15 meia

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s